Educação

Após greve, professores da rede municipal tiveram salário cortado em Carira

Alguns profissionais tiveram o contracheque zerado.
por Redação do Portal Itnet
02/07/2014 12:06h

Professores da rede municipal de Carira tiveram parte do salário cortado pelos dias que ficaram sem trabalhar durante o movimento grevista que durou 18 dias. Alguns profissionais tiveram o contracheque zerado.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial de Ensino (Sintese), no documento judicial recebido pela categoria os professores deveriam voltar a suas atividades até o dia 12 de junho, sobre pena de multa, caso a liminar não fosse atendida, e os professores acataram a decisão, encerraram a greve e voltaram às aulas no dia estabelecido pela justiça, logo não deveriam ter sido penalizados com cortes salariais.

A professora Edineide Nascimento recebeu seu contracheque nessa terça-feira (1° de julho) e teve e uma surpresa desagradável ao ter o salário e o décimo terceiro cortado. A professora é concursada com dois vínculos pelo município, em um deles ela deveria receber R$ 3.528,18 e após o desconto recebeu apenas R$ 276,33, no outro caso ela recebeu R$ 1006,21 de um valor de R$ 3.310,75.

"Foi um corte arbitrário além de não usar nenhum critério, o gestor cortou o salário de todos os professores incluindo docentes em licença maternidade e licença Prêmio, que não participaram da greve", disse Edineide.

"A situação é horrível. Muitos professores estão sem saber o que fazer. Iremos acionar o Ministério Público para que algo seja feito e que este quadro seja revertido. Infelizmente a cultura do autoritarismo faz com que as antigas oligarquias continuem a acreditar que tudo podem e que não precisam respeitar a lei. Mas os professores de Carira não vão aceitar isso. Vamos continuar lutando por nossos direitos" afirma professor e delegado sindical de Carira, Givaldo Costa.

Pior salário do Estado

Com o piso salarial congelado em R$ 1.024,67, desde 2010, os professores de Carira são os mais mal renumerados de Sergipe, segundo dados do Sintese. Segundo o sindicato, diversas tentativas de negociação já foram feitas em audiências, mas desde o ano passado o prefeito Diego Machado se comprometeu em reajustar o piso salarial e reconstruir a carreira do magistério de Carira, mas até agora nada foi feito.

Da redação Itnet, Aparecido Santana.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo