Saúde Legal

Remédio para cavalos é utilizado em festas ou durante o sexo

Ketamina é a droga do momento nas raves e baladas
por Saúde Legal
24/07/2014 17:47h

Portal Itnet - Remédio para cavalos é utilizado em festas ou durante o sexoA ketamina, também chamada por K (quêi), vitamina K, especial K ou Kit-Kat, é uma droga utilizada como tranquilizante e anestésico para cavalos, e que vem se tornando cada vez mais comum em festas, principalmente as raves. A droga, que chegou no Brasil há cerca de dois ou três anos, é comercializada entre jovens que desejam um efeito de ficar anestesiado, chapado, aumentar a energia e conseguir curtir a festa inteira, sem sentir efeitos de cansaço ou fadiga. Outros relatam utilizá-la para um sexo mais duradouro e prazeroso.

Por se apresentar em forma de líquido ou pó, a ketamina algumas vezes é até adicionada em bebidas como tentativas de abuso sexual, algo parecido com o golpe "boa noite cinderela". Ela pode ser também cheirada, injetada quando misturada em água ou ingerida sob a forma de cápsula.

É claro que a ketamina, ao causar todos esses efeitos, não seria nem de longe benéfica ao organismo humano. O "bump" relatado pelos usuários (os efeitos que aumentam o nível de energia) duram de 45 minutos a uma hora e meia, quando cheirado ou ingerido, e até 3 horas quando injetado. Como as festas costumam durar mais que isso, o usuário tende a utilizar a droga mais de uma vez na noite. E assim, começa o ciclo do vício.

Com o tempo, a tolerância a ketamina é aumentada e as doses precisam ser maiores. Os sintomas indesejados começam a se tornarem mais evidentes: tonturas, enjoos, vômitos, ansiedade, depressão, paranoia, perda de memória e pensamentos suicidas. Em longo prazo, a substância pode atrofiar o cérebro, ficando menor e mais encolhido, causando danos irreversíveis.

Em operações policiais em festas é comum a apreensão de cápsulas da droga, sendo comercializada em média por R$ 20 a unidade. A sua compra em farmácias de produtos veterinários e casas de produtos agropecuários é restrita e vendida somente com a retenção da receita, aviada pelo médico veterinário. Contudo, uma equipe de reportagem da Rede Globo de Televisão, no Rio Grande do Sul, mostrou que a droga poderia ser comprada sem nenhuma dificuldade. Nesse caso, o repórter comprou um frasco de 10 ml da droga por R$ 32, sem nenhum questionamento por parte do vendedor.

Fica então o alerta: não aceite bebidas de outras pessoas, mesmo que sejam "amigos", nunca se sabe o que pode conter nas mesmas. Se você desconfia quem alguém pôs algo em sua bebida, procure alguém de confiança e relate. Se os efeitos aparecerem de forma intensa, vá a um posto de saúde. Além disso, não utilize por curiosidade ou experimente a ketamina. Na internet é possível ler vários relatos de usuários que contam o resultado desastroso da brincadeira. É brincar de morrer, como li em um dos relatos.

Leia também:Falta de desejo sexual nas mulheres supera a ausência de orgasmo como problema

Jeferson Machado Santos.CRF-SE: 658.

Farmacêutico pela Universidade Federal de Sergipe - UFS.Habilitação em Bioquímica Clínica pela Universidade Federal de Sergipe - UFS.Especialista em Administração de Empresas pela FIJ-RJ.Especialista em Farmacologia e Interações Medicamentosas pela Uninter-IBPEX.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo