Saúde e Ciência

Municípios sergipanos recebem recursos para prevenção das DST/Aids

Ao todo, 19 municípios sergipanos já recebem recursos diretamente do Ministério da Saúde.
por Redação do Portal Itnet
16/10/2014 08:33h
Atualizado em 16/10/2014 08:35h

Ao todo, 19 municípios sergipanos já recebem recursos diretamente do Ministério da Saúde (MS) para executar e intensificar as ações de prevenção e combate às DST/AIDS. São eles: Aracaju, Areia Branca, Barra dos Coqueiros, Boquim, Campo do Brito, Canindé do São Francisco, Capela, Carmópolis, Estância, Ilha das Flores, Itabaiana, Itaporanga D'Ajuda, Lagarto, Laranjeiras, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora do Socorro, Propriá e São Cristóvão.

O gerente do programa Estadual DST/ Aids, Almir Santana (Foto: Divulgação).

Os municípios foram escolhidos pelo MS de acordo com a carga de AIDS, Sífilis Congênita, Hepatites B e C, ou seja, aqueles que têm maior registro de números de casos dessas doenças. Os 19 municípios passam a receber 54,72% do total dos recursos que vinham para o Estado. Os outros 45,28% serão utilizados pela SES para trabalhar com o restante dos municípios em campanhas e ações contra as DST/AIDS. "Sergipe recebia do Ministério da Saúde R$ 2.118.752,00. Desse montante, R$ 1.159.469,05 passam a ser destinados aos 19 municípios e R$ 959.282,95 será utilizado pela Secretaria de Estado da Saúde com os outros 56", contabilizou Mércia Feitosa, coordenadora do Núcleo de Doenças Transmissíveis da SES. Os municípios passam a receber o recurso e, consequentemente, têm que elaborar o plano de ação. "Cada um dos municípios tem que definir as prioridades locais, identificar e trabalhar com as populações vulneráveis (profissionais do sexo, usuário de drogas, caminhoneiros, etc.) prioritariamente e realizar os Testes Rápidos associados com ações educativas em locais estratégicos", orientou Almir Santana, gerente do programa Estadual DST/AIDS. "O plano, que será entregue para a SES pelos municípios, é uma maneira dos técnicos do programa Estadual DST/AIDS monitorarem o desenvolvimento das ações. Os municípios também podem contar com a ajuda dos técnicos estaduais no desenvolvimento e execução do plano", disse Almir Santana.

por ASN.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo