Saúde Legal

Redes sociais viciam mais do que sexo e cigarro e pode te deixar depressivo e desconfiado

Confira 4 razões que podem te levar a abandonar as redes sociais.
por Jeferson Machado
15/12/2014 15:13h

O assunto é um tanto polêmico, mas vale a pena a análise dos estudos abaixo e que cada um tire a sua própria conclusão. Vale ressaltar que as informações abaixo são baseadas em pesquisas científicas. Mas, eu concordei em quase 100% das informações, afinal estamos vendo uma geração "doente" surgindo: ansiedade, pânico, depressão, fobias, manias e etc.

Redes sociais viciam mais que sexo e cigarro

Seu amigo comenta: você tem "tal rede"? Ainda não?! Daí você instala o aplicativo ou acessa pelo computador. Começa a mexer, curtir, comentar. E então, passa a todo instante a entrar com frequência para ver quem curtiu suas publicações, as novidades, fotos, etc. Surpresa: você está viciado!

A Universidade de Chicago realizou uma pesquisa com 205 voluntários entre 15 a 85 anos. Durante uma semana os mesmos tinham de relatar, a cada meia hora, quais eram os desejos mais fortes que sentiam naquele momento. Os voluntários conseguiam resistir aos impulsos consumistas, sexuais e vontade de beber ou fumar, mas não conseguiam se segurar quando o assunto era checar o Facebook. A vontade acabava sendo muito maior do que as outras. Os pesquisadores acreditam que o cigarro e a bebida são menos tentadores por custarem muito mais do que checar a rede social. Será?

Leia a pesquisa em: http://www.psychologicalscience.org/index.php/news/facebook-email-more-irresistible-than-sex.html

Compartilhar fotos pode levar você a perder amigos

Se você é daqueles que enchem a linha do tempo com fotos de cada passo seu, é hora de pensar duas vezes, pois seus amigos podem acabar se distanciando de você. Pesquisadores de quatro universidades britânicas reuniram 500 voluntários e os convidaram a participar de uma pesquisa. Os participantes só precisaram classificar com que frequência alguns amigos postavam diferentes tipos de fotos e, depois, contar qual era o nível de apoio e intimidade que mantinha com aquela pessoa.

Os resultados apontaram que quanto mais fotos você posta, maior o risco de prejudicar o relacionamento com alguém, independente do conteúdo da imagem. Isso porque nem sempre você vai conseguir agradar a todos na foto. Sempre vai ter alguém para sentir ciúmes - seus amigos que ficaram de fora ou o seu amor, e assim, seu nível de intimidade com essas pessoas até cai. Exceto, claro quando forem amigos muito próximos ou parentes.

Leia a pesquisa em: http://epapers.bham.ac.uk/1723/

Ver o Facebook alheio pode te deixar depressivo

Os sociólogos Hui-Tzu Grace Chou e Nicholas Edge, da Universidade Utah Valley, entrevistaram 425 estudantes para saber se estavam felizes ou não com a vida, e se os amigos pareciam estar felizes. E contaram quanto tempo por dia ficava on-line. A conclusão: quem passava mais tempo em redes sociais tendia a achar a vida alheia mais interessante - e a própria vida um tédio. É fácil entender o motivo. As pessoas costumam relatar mais sobre momentos felizes do que tristes no mundo virtual. Aí parece que os dias delas, sempre são interessantes, nunca têm tempo ruim.

Parece uma festa sem fim e cheia de alegria. Mesmo que o trabalho seja o pior do mundo, que o relacionamento esteja em crise ou que a viagem tenha sido um fracasso, tudo parece perfeito. Enquanto isso, do outro lado da tela, você vive a sua vida normal, real e completa, com coisas boas e ruins acontecendo. Isso é o que dá fuçar a vida alheia.

Leia a pesquisa em: http://online.liebertpub.com/doi/abs/10.1089/cyber.2011.0324

Redes sociais podem te deixar gordo e cheio de dívidas

Isso mesmo, basta apenas cinco minutinhos no Facebook ou outra rede social para te deixar um tanto descontrolado. A explicação é simples. A Universidade de Pittsburgh e a Universidade Columbia reuniram 541 voluntários para alguns testes - uma parte delas acessava o Facebook e outras não. E, na sequência, eles tinham de escolher entre comer um biscoito de chocolate ou uma barra de cereal. O pessoal do Facebook preferia os doces. E eles também se mostravam mais propensos a seguir impulsos consumistas e torrar o dinheiro com uma compra qualquer. Além disso, os fãs de redes sociais desistiam mais rápido na hora de encontrar respostas para problemas de matemática e quebra-cabeças.

É um efeito colateral do seu bom relacionamento com os amigos que sobraram. "Quando as pessoas usam o Facebook elas ficam mais felizes com elas mesmas", explica Andrew Stephen, co-autor do estudo. "E pessoas que se sentem bem tendem a se controlar menos. Eles se dão permissão para extrapolar em algumas coisas", conclui. Entretanto, sabemos que essa sensação de bem-estar é bastante passageira, e tende a passar logo, por isso alguns continuam conectado por longos períodos. Os pesquisadores também perguntaram aos participantes sobre o tempo que passam online. Os mais cheinhos sempre gastavam mais tempo, todos os dias, com o Facebook.

Leia a pesquisa em: http://www.news.pitt.edu/socialmedia_selfcontrol

E aí, você ainda vai continuar "viciado na rede social"? Que tal começar a diminuir o uso, utilizar apenas com moderação; promover mais encontros reais; aproveitar o momento vida real e etc. Por último, fica a dica da psicanalista e neurocientista Nanci Azevedo: "Compreenda que a internet pode aproximar quem está longe, mas distancia quem está perto".

Leia também:Você é viciado em Internet? Leia os sintomas e descubra

Você não larga o celular nem para ir ao banheiro?

Jeferson Machado Santos.CRF-SE: 658.

Farmacêutico pela Universidade Federal de Sergipe - UFS.Habilitação em Bioquímica Clínica pela Universidade Federal de Sergipe - UFS.Especialista em Administração de Empresas pela FIJ-RJ.Especialista em Farmacologia e Interações Medicamentosas pela Uninter-IBPEX.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo