Saúde Legal

Zika, dengue ou chikungunya, saiba como diferenciar

Zika infectou ao menos 500 mil em 2015, segundo o governo
por Jeferson Machado
10/12/2015 20:19h

O Ministério da Saúde divulgou, na última terça-feira (8), um relatório o qual estima que entre 500 mil a 1,4 milhão de brasileiros foram infectados com o zika vírus. Ainda segundo o governo, 80% dos infectados não apresentam sintomas, e portanto desconhecem serem portadores do vírus. Além disso, o relatório do Protocolo de Vigilância e Resposta à Microcefalia e ao Zika já soma 1.761 casos suspeitos de microcefalia, em 422 municípios, com 19 mortes de bebês notificadas.

Embora ainda não haja testes suficientes para identificar os casos de zika pelo país, alguns pontos podem ajudar na diferenciação das doenças com sintomas semelhantes (zika, dengue ou chikungunya).

Zika vírus, "o primo fraco da dengue"O zika é um arbovírus que pode ser transmitido pelo mosquito do gênero Aedes, como o Aedes aegypti, que também causa a dengue, ou até mesmo por um artrópode, como um carrapato. Surgiu pela primeira vez em 1947 em Uganda, na floresta de Zika, por isso o seu nome. No Brasil, a primeira notificação se deu em abril de 2015. É considerada o "primo fraco da dengue" por possuir sintomas bem menos agressivos do que aquele.

Transmissão via relação sexual ou leite maternoAlguns especialistas afirmam ser possível a transmissão do vírus via leite materno, relações sexuais ou transfusão de sangue. Porém, nenhum caso foi confirmado ter uma relação direta com essas vias de transmissão, e necessitam de mais estudo para tal comprovação.

Os sintomasSeus sintomas aparecem de 3 a 12 dias após o contato do vírus com o organismo, os quais incluem febre intermitente (a febre que "vai e vem"), manchas vermelhas na pele, coceira e dores muscular. A doença é benigna e costuma desaparecer em um período entre 3 a 7 dias.

TratamentoAssim como na dengue, ainda não há tratamento específico, bem como também ainda não há vacina. O Ministério da Saúde recomenda o uso de paracetamol e dipirona no controle da febre e da dor. Muito líquido, repouso e bons hábitos alimentares também podem ajudar na recuperação da doença.

Zika e a microcefalia e gravidezApontado como o causador do recente surto de microcefalia, algumas particularidades e dicas para grávidas e gestantes se encontram no artigo a seguir: Confira os cuidados que as grávidas e lactantes devem ter com o zika.

As complicações do zika vírusApesar de ser uma doença benigna e que se resolve em poucos dias, o perigo maior se encontra no risco da relação com outras doenças, como o aumento nos casos da síndrome de Guillain-Barré. Essa síndrome trata-se de uma doença rara que afeta o sistema nervoso e que pode provocar fraqueza muscular e paralisia de braços, pernas, face e musculatura respiratória. Em 85% dos casos, há recuperação total da força muscular e sensibilidade.

Zika, dengue ou chikungunya, saiba como diferenciarMedidas de prevençãoNo artigo anterior, Confira os cuidados que as grávidas e lactantes devem ter com o zika, algumas dicas foram apontadas, tais como as roupas que mais atraem os mosquitos (roupas mais curtas, saias e vestidos, cor da roupa, tipo do tecido), dentre outros fatores que auxiliam no combate ao vetor e na prevenção ao risco de contaminação.

Em resumo, basicamente a prevenção se dá no combate ao mosquito. Por isso, recomenda-se o uso de mosquiteiros e inseticidas, além da instalação de telas nas portas e janelas. Deve-se utilizar roupas que cubram os braços e pernas, e de cores claras, haja visto que as cores escuras atraem os mosquitos. Também deve se utilizar repelentes com um composto chamado icaridina, para reduzir as chances de se levar uma picada.

Como diferenciar zika da dengue ou chikungunyaTodas as três são causadas por um vírus e transmitidas pelo mesmo vetor, o mosquito Aedes aegypti. Apesar de apresentarem sintomas semelhantes, o primeiro ponto a ser diferenciado é a gravidade da doença.

A dengue, que pode ser provocada por quatro sorotipos diferentes do vírus, é caracterizada por febre repentina e alta, dores musculares, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, falta de ar e moleza. A forma mais grave da doença é caracterizada por hemorragias e pode levar à morte.

O chikungunya caracteriza-se principalmente pelas intensas dores nas articulações, principalmente nos pés e nas mãos, que é mais intensa que no quadro de dengue. A febre é repentina e acima dos 39ºC e podem aparecer manchas na pele. Os sintomas duram entre 10 e 15 dias, mas as dores articulares podem permanecer por meses e até anos. Complicações sérias e morte são muito raras.

Já a febre por zika vírus leva a sintomas que se limitam em média a 7 dias. Nem sempre apresenta febre, ou se apresenta de baixa intensidade e que dura poucos dias. Sua maior característica é a alergia intensa que provoca manchas vermelhas na pele e coceira. Pode apresentar diarreia e conjuntivite. Apesar de os sintomas serem mais leves do que os de dengue e chikungunya, a relação do vírus com a microcefalia e a possível ligação com a síndrome de Guillain-Barré tem trazido preocupação.

Recomendações geraisAo observar qualquer dos sintomas: febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e articulações e/ou manchas vermelhas na pele, vá imediatamente a uma unidade de saúde. Caso já tenha sido diagnosticado e apresente dor abdominal ou vômito, retorne imediatamente à unidade de saúde.

Para saber mais:Confira os cuidados que as grávidas e lactantes devem ter com o zika

Jeferson Machado Santos.CRF-SE: 658.

Farmacêutico pela Universidade Federal de Sergipe - UFS.Habilitação em Bioquímica Clínica pela Universidade Federal de Sergipe - UFS.Especialista em Administração de Empresas pela FIJ-RJ.Especialista em Farmacologia e Interações Medicamentosas pela Uninter-IBPEX.

Gostou? Compartilhe:

Comentários
Veja Também