Policial

Delegado esclarece prisão de policial

Segundo as investigações, Igor teria pago R$ 1.800 para que Hamilton [servidor público da Secretaria de Segurança Pública, enquadrado como policial civil] contratasse uma pessoa para executar o crime.
por Redação do Portal Itnet
13/02/2016 15:06h
Atualizado em 13/02/2016 15:11h

Na manhã desta sexta-feira, 12, a Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Roubo e Furto de Veículos (DERFV), elucidou um falso sequestro-relâmpago, resultante em uma tentativa de homicídio, simulado em outubro de 2015. Igor Alexandre Nascimento de Jesus, mandante do crime, arquitetou um falso crime para conquistar o coração de uma jovem de 21 anos. Foram presos, além de Igor, o executor Emílio Valter de Menezes e e o policial civil Hamilton Correia Santos.

De acordo com o delegado Thiago Leandro, a elucidação, intitulada 'Operação Romeu', iniciou com o registro do boletim de ocorrência por parte do mandante Igor, comunicando o sequestro-relâmpago e o roubo do veículo. "O pontapé das investigações iniciou quando a vítima relatou que mandaram eles se abraçarem para morrer juntos, o que demonstrou ter algo passional na ocorrência", relata.

Segundo as investigações, Igor teria pago R$ 1.800 para que Hamilton [servidor público da Secretaria de Segurança Pública, enquadrado como policial civil] contratasse uma pessoa para executar o crime. Emílio foi instruído sobre o que deveria ser feito. "Eles combinaram tudo. Hamilton passou para Emílio o endereço da vítima e o horário em que Igor iria se encontrar com ela. Igor marcou com Emílio para que eles se encontrassem em uma agência bancária, e lá mesmo, Emílio anunciaria o suposto sequestro", destaca o delegado.

Entretanto, não ficou claro para o executor que seria apenas uma simulação para que Igor pudesse se passar perante a vítima, como herói, entendendo que a morte da jovem deveria ocorrer. O falso crime ocorreu nas proximidades de uma agência bancária situada na Praça Fausto Cardoso. Conforme comenta o delegado, inicialmente eles foram conduzidos para uma garagem próxima ao local, momento em que Emílio tentou atirar contra a jovem, após mandar Igor e a vítima se abraçar, porém a munição não deflagrou. A partir daí, o mandante não possuía mais o controle da situação e foram levados a uma propriedade rural em Areia Branca, quando ela recebeu um disparo contra a coxa que quebrou o fêmur.

"Fechamos o caso. Apreendemos o outro carro que estava envolvido na ocorrência também, representamos pela prisão temporária dos acusados e já pedimos a prisão preventiva. Emílio Valter tem mandado de prisão em aberto pelo município de Santos, em São Paulo, por porte ilegal de arma e o policial Hamilton Correia responde um processo em liberdade na comarca de Itabaiana", conclui Thiago Leandro.

fonte SSP/SE

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo