Policial

Marqueteiro do PT tem prisão decretada em 23ª fase da Lava Jato

João Santana é alvo central da Operação Acarajé, que apura recebimento de valores ilegais do publicitário, em contas no exterior, pagos pela Odebrecht.
por Redação do Portal Itnet
22/02/2016 13:45h
Atualizado em 22/02/2016 13:46h

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira, 22, a Operação Acarajé - 23ª fase da Operação Lava Jato -, que tem como alvo central o marqueteiro João Santana, das campanhas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff, que teve decretado um mandado de prisão temporária contra ele. A Justiça também decretou a prisão temporária de sua mulher e sócia, Mônica Moura.

João Santana lava jato

O alvo são os pagamentos feitos pela construtora Norberto Odebrecht para Santana no exterior que somam cerca de US$ 3 milhões. A PF cumpre 51 mandados decretados pelo juiz federal Sérgio Moro. São duas prisões preventivas e seis temporárias.

Foram presos o operador de propinas Zwi Skornicki e estão em andamento buscas e apreensões ainda na Odebrecht. Santana não foi preso, pois está na República Dominicana, onde trabalha na campanha à reeleição do presidente do país.

São feitas buscas e prisões na Bahia (Salvador e Camaçari), Rio de Janeiro (Rio, Petrópolis, Angra dos Reis e Mangaratiba) e São Paulo (São Paulo, Campinas e Poá).

Segundo a PF, são três grupos alvos: o da Odebrecht (empresarial) responsável pelos pagamentos, o do operador de propinas, Zwi Skornicki, e o recebedor, envolvendo os negócios do marqueteiro do PT.

O nome da operação, Acarajé, é uma alusão ao apelido usado pelos alvos para designar dinheiro.

Fonte: Estadão.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo