Maternidade necessita de aumento nos repasses para impedir fechamento

Diretor da unidade de saúde afirma que, valores dos repasses precisam ser atualizados.
por Redação do Portal Itnet
02/03/2016 16:25h
Atualizado em 02/03/2016 18:43h

Por Aparecido Santana.Reportagem em áudio: Iane Góis.Fotos: Alef Andrade.

O fechamento do Hospital e Maternidade São José, em Itabaiana, está prestes a ocorrer em decorrência da desatualização dos repasses públicos necessários para a manutenção das atividades na unidade de saúde.

Nesta quarta-feira, dia 02 de março, ocorreu uma audiência no Ministério Público de Itabaiana, com a presença da Secretária de Saúde Andrea Reis, a Prefeita em exercício Lourdes Machado, a deputada Maria Mendonça, o vereador Olivério Chagas e o diretor da maternidade, Carlos Noronha, bem como representantes do Ministério Público. O intuito é unir forças para impedir o fechamento.

reunião fechamento maternidade de itabaiana

O Estado não mandou representantes para a reunião desta quarta-feira, mas justificou anteriormente a ausência e marcou uma reunião para o próximo dia 15 de março, com o Secretário da Saúde Zezinho Sobral.

De acordo com Carlos Noronha, não é o repasse do Ministério da Saúde que não está sendo feito de forma adequada pela prefeitura. "O que existe na verdade é a desatualização dos valores desse contrato, e a não participação com recursos próprios do município", argumenta.

Carlos Noronha

Ainda segundo Carlos, o Estado, que repassava só R$ 44.000,00 (quarenta e quatro mil reais) por mês, diminui este valor para R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) no mês de setembro e a partir deste mês deixou de repassar, sendo atualizados os meses de novembro e dezembro nesta quarta-feira, dia 02.

Ouça entrevista completa com Carlos Noronha - Por Iane Góis

Atualmente a maternidade recebe cerca de R$ 500 a 600 mil do Ministério da Saúde e R$ 44 mil da Secretaria de Estado da Saúde, recursos estes que são insuficientes, o que tem originado um défice mensal, que para ser contornado necessitava, segundo o diretor, de praticamente o dobro desse valor. Em virtude desses prejuízos mensais avaliados em R$ 300 mil, montante que já soma um déficit superior a R$ 1.500.000,00 (Um milhão e quinhentos reais).

"A situação financeira é muito complicada. O Ministério Público está tentando intermediar um acordo para que haja um repasse maior", disse Cláudia Calmon, promotora e curadora da saúde do município.

Cláudia Calman

Cláudia Calmon

Em sua fala a promotora disse ainda que, a sua preocupação é que outros municípios com demanda inferior à da maternidade São José têm valores bem acima do que é destinado a unidade filantrópica Serrana.

A deputada Maria Mendonça disse que essa possibilidade de fechamento precisa ser descartada. A parlamentar disse que irá fazer uma moção de apelo ao Congresso Nacional para se engajar nessa luta no sentido de sensibilizar o Governo Federal da importância de reajustar a tabela SUS, que não é feito há 13 anos.

Maria Mendonça

Deputada Maria Mendonça.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo