Economia

Com transição de bandeiras, conta de luz fica mais barata

Assessoria da Energisa alerta para que comodidade não seja prerrogativa para desperdício.
por Redação do Portal Itnet
01/04/2016 08:33h
Atualizado em 01/04/2016 17:07h

Com transição de bandeiras, conta de luz fica mais barata

Por Iane Gois

A bandeira tarifária amarela que estava em vigor durante o mês de março dá lugar a partir desta sexta-feira (01) à verde. Essa é a primeira vez que há a ‘queda' desde que o sistema foi posto em vigor, em janeiro de 2015.

No bolso do consumidor isso significa que a cobrança extra de R$ 1,50 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) de energia consumidos não será adicionada à conta, o que revela uma maior estabilidade na produção energética do país.

Entretanto, a novidade não pode ser considerada definitiva. De acordo com o assessor de comunicação da Energisa, concessionária em Sergipe, André Brito, somente o tempo poderá revelar a estabilidade da mudança de quadro.

"É impossível fazer qualquer tipo de previsão no sentido do sistema de bandeiras. Hoje não há a necessidade de ligação de mais usinas, mas futuramente pode ser que a realidade seja diferente, e aí a retomada da cobrança será inquestionável", destacou Brito, lembrando que tal determinação é de competência da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Mas apesar da boa notícia, André alerta para que essa não seja uma prerrogativa para o desperdício. "Passamos de uma situação de crise para a de conforto. A população precisa estar consciente de que a ação diária, o consumo responsável, é preponderante para que não entremos em um alerta".

Com a criação do adicional como solução para arrecadar recursos e cobrir custos extras com o uso de termelétricas, em 2015 os brasileiros pagaram R$ 14,712 bilhões a mais nas contas de energia, segundo dados da Aneel.

Melhoria nos níveis dos reservatórios, redução da demanda e a entrada de novas usinas em funcionamento são justificativas, segundo a Agência, para alteração das bandeiras.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo