Saúde e Ciência

Itabaiana tem 86 casos de microcefalia notificados

Segundo o Ministério da Saúde, dados em todo o país apontam para 7.016 notificações.
por Redação do Portal Itnet
13/04/2016 11:03h
Atualizado em 13/04/2016 14:09h

Itabaiana registrou 86 casos suspeitos de microcefalia ao longo de 2015

Bebê com Microcefalia

Foto: Reprodução

Por Iane Gois

As autoridades sanitárias brasileiras têm sido surpreendidas com os crescentes casos de microcefalia espalhados por todo o Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, de outubro de 2015, quando do início dos estudos, a abril de 2016 foram registradas 7.016 notificações, tendo sido confirmados 1.113 casos, 2.066 descartados e outros 3.836 permanecem sob investigação.

Ainda conforme as estatísticas do boletim publicado pelo Ministério na última terça-feira (12), dos 1.113 diagnósticos acima mencionados, 189 apresentaram sorologia positiva para o vírus da Zika, confirmando a relação que cientistas já apontavam como possível razão da deficiência.

Um fator preocupante se faz nas mortes já contabilizadas por conta da anomalia ou em virtude de outras alterações no sistema nervoso central durante a gestação, ou após o parto. Das 235 ocorrências suspeitas, 50 foram confirmadas.

Somente na região Nordeste estão concentradas cerca de 78% das notificações, com distribuição dos casos positivos em 358 municípios de 21 unidades da federação: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Amazonas, Pará, Rondônia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Paraná.

Em Itabaiana, primeira cidade do país com casos confirmados do vírus zika ligado à microcefalia, de julho de 2015 a abril de 2016 foram notificadas 86 situações suspeitas, de acordo com informações do diretor clínico do Hospital e Maternidade São José, Dr. Carlos Noronha.

"Durante esse período tivemos 86 casos notificados, sendo que destes foram confirmados dez e, infelizmente, um óbito", pontuou Noronha, antecipando que o último nascimento a entrar na estatística da unidade foi em dezembro de 2015.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo