Estilo

Exército da Fé em Itabaiana (SE): mães que se ajoelham e oram pelos filhos

Grupo se reúne às quartas-feiras no CTP e crê na força conversão religiosa como fonte de mudança.
por Redação do Portal Itnet
20/07/2016 10:23h

Mães itabaianenses se unem pela fé, em oração pelos filhos

Por Iane Gois

Há cerca de trinta dias um movimento catequista mudou as noites de quartas-feiras de centenas de mulheres itabaianenes, quando, no Centro de Treinamento Pastoral (CTP), mães, sejam elas biológicas, adotivas ou espirituais se reúnem na fé para orar pelos filhos.

Defendendo o lema "mães de joelhos por filhos de pé", o grupo nasceu da paixão da jovem serrana Wênia Barros pelo livro da Canção Nova que relata a crença daquelas que esperam na força da oração pelas mudanças.

"Eu ganhei o livro e, conforme a leitura, a vontade de participar do encontro aumentava consideravelmente, mas aqui não tínhamos reuniões semelhantes. Foi assim que decidi falar da iniciativa ao pároco da cidade, Padre Jadson, e mediante a aprovação foi buscado o apoio no site do movimento, recebendo toda a assistência da equipe de Vitória, no Espírito Santo, que tem como diretor espiritual o Padre Anderson e fundadora coordenadora Angela Abdo", disse Wênia, cmpletando: " a Canção Nova também nos assegura o suporte necessário".

        Mães itabaianenses se unem pela fé, em oração pelos filhos          Mães itabaianenses se unem pela fé, em oração pelos filhos

Já no 3º encontro de conversão religiosa, o Santo Terço, a formação bíblica e os momentos de louvor e intercessão têm preenchido as duas horas semanais das guerreiras que lutam pela formação do exército de mães que oram pelos filhos em Itabaiana.

Segundo Wênia, ante a família ser a instituição base para toda e qualquer construção, mesmo o foco inicial sendo as mães, o propósito se estende àqueles que acreditam "que é imprescindível a formação na fé para que a partir de então seja assegurada a educação dos filhos também na crença".

Nossa Senhora de La Sallete, nome dado à santíssima Virgem Maria, e Santa Mônica foram escolhidas padroeiras do movimento pela característica em comum de luta para que os filhos conhecessem a verdadeira fé e nela se espelhassem para o exercício cotidiano.

Questionada sobre a extensão do projeto aos lares, Wênia disse que há o interesse de levar a identidade religiosa aos domicílios, mas que nesse momento as portas do CTP estão abertas para o acolhimento de quem desejar se inserir, destacando o trabalho de evangelização também com as crianças que acompanham as mães.

No encontro desta quarta-feira (20), além do entendimento da vocação dada por Deus à mulher no sentido de, enquanto mãe, amar sem limites e doar-se incondicionalmente, o que a faz travar diariamente uma batalha espiritual que a aproxima do sentimento de Maria aos pés da cruz de Jesus, haverá o momento de bênção feito pelo Padre Jadson.

Gostou? Compartilhe:

Veja Também
Comentários