Cidade

Olimpíadas: PF prende grupo que planejava ataque terrorista

Acusados teriam sido recutados pelo Estado Isâmico, pela internet.
por Redação do Portal Itnet
21/07/2016 11:51h

RIO - Um grupo que estava preparando atos terroristas durante a Olimpíada foi preso, nesta quinta-feira, pela Polícia Federal. A prisão foi a primeira com base na lei antiterror, segundo o colunista do GLOBO, Lauro Jardim. O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, vai detalhar a prisão ainda nesta quinta-feira, em entrevista coletiva. As prisões foram feitas em São Paulo e no Paraná. O grupo foi recrutado pelo Estado Islâmico pela internet. Um menor foi apreendido na operação.

De acordo com a revista "Época", os suspeitos seguiam o mesmo roteiro dos terroristas envolvidos nos atentados em Orlando, nos Estados Unidos, e de Paris, na França. Eles foram recrutados pela internet e juraram lealdade ao Estado Islâmico, enquanto discutiam os possíveis alvos no Rio. Com autorização judicial, a Polícia Federal monitorou mensagens trocadas pelo grupo nas redes sociais, sobretudo Facebook e Twitter.

Nas mensagens, a PF descobriu que, além do plano para fazer um atentado terrorista na Olimpíada, eles relatavam compras de armamento, informou a "Época".

O perfil dos alvos, segundo investigadores, encaixa-se no grupo que é hoje considerado o de maior risco entre os brasileiros investigados. São recém convertidos ao islamismo, que se frustraram com o tom pacifista das mesquitas brasileiras e buscaram na internet o radicalismo propagandeado pelo Estado Islâmico. A inteligência brasileira trabalha com 50 alvos. Todos os presos pela PF estavam nesta lista.

O temor por atentados terroristas durante os Jogos Olímpicos está mobilizando o governo brasileiro e os de vários países que participarão da Olimpíada. Nesta terça-feira, o governo francês desmentiu que houvesse o planejamento de um ataque terrorista à delegação olímpica do seu país, que teria a participação de um brasileiro supostamente ligado ao Estado Islâmico. Segundo a França, a informação é falsa. Ela foi publicada no site da Assembleia Nacional francesa, sendo depois divulgada pelo jornal "Libération", na quarta-feira da semana passada. O desmentido foi enviado ao Ministério da Defesa brasileiro pelo diretor de Inteligência Militar da França. No documento, ele afirma que a conclusão vem de um trabalho conjunto feito por órgãos de inteligência de vários países, incluindo o Brasil.

Na última quarta-feira, o governo da França solicitou ao Ministério das Relações Exteriores do Brasil que reforce a segurança de escolas e consulados franceses. O pedido foi enviado pelo Itamaraty a 19 secretarias estaduais de Segurança, que determinarão como se dará o reforço. Nesta segunda-feira, os aeroportos começaram a utilizar as novas regras da Agência Nacional de Aviação (Anac) para inspeção de passageiros e bagagens de mão em voos domésticos.

Do O Globo

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo