Morre aos 80 anos, Pe. Manoel Araújo: “ O Missionário da Fé e Esperança”

Prefeitura de Ribeirópolis decreta luto oficial de três dias.
por Redação do Portal Itnet
31/08/2016 15:10h

Por Aparecido Santana, redação Itnet. 

Morreu na madrugada desta quarta-feira, dia 31 de agosto, no hospital São Lucas, em Aracaju, o Pe. José Manoel Araújo, de 80 anos. O sacerdote estava internado nos últimos meses no hospital, com diversas complicações em seu estado de saúde, e acabou não resistindo aos procedimentos médicos, e faleceu. Araújo era natural de Tacaratu/PE e residia em Ribeirópolis. 

Por ocasião do passamento do Padre Manoel Araújo foi decretado luto oficial de três dias no município de Ribeirópolis. As escolas municipais terão funcionamento normal nesta quarta e quinta, e sexta-feira as escolas deverão fechar para que os funcionários e ex-paroquianos possam render suas homenagens ao saudoso padre no velório e sepultamento. Ocorrerá ainda o hasteamento das bandeiras na prefeitura nos dias 05, 06 e 07 de setembro no horário já combinado anteriormente.

A história do sacerdote está imortalizada nas obras: “Padre Manoel Araújo: O Missionário da Fé e Esperança”, de Carlos Mendonça e Nossa Senhora Aparecida: História, Fé e Identidade, de Aparecido Santana, José Leidivaldo e Isabela Alves.

Biografia de Padre Araújo

Padre Araújo, ou Bolinha como era conhecido, nasceu em 05 de agosto de 1936 em Tacaicó, localizado na cidade Tacaratu, no sertão de Pernambuco. A sua ordenação como padre ocorreu em 11 de fevereiro de 1968 na Matriz de Nossa Senhora da Saúde em sua cidade natal. Meses antes de ser ordenado Araújo ele veio para a cidade de Frei Paulo em 10/07/1967 fazer o seu diaconato, cerimônia que antecede a ordenação sacerdotal.  A pequena passagem fez o jovem seminarista retornar anos depois para a cidade vizinha Ribeirópolis, onde atualmente residia.

A pós sua ordenação, Araújo foi enviado ao estado do  Amazonas a fim de trabalhar com tríbos indigenas no norte do país. De volta a Sergipe,  foi designado para a Paróquia de Santo Antônio e Almas de Itabaiana,  auxiliando o Monsenhor José Curvelo Soares. Na data exata de 26 de julho de 1971 a Arquidiciocese de Aracaju resolveu transferir Pe. Araújo para a Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, em Ribeirópolis, após a saída do Pe. Afonso da Paróquia Sagrado Coração de Jesus.

A sua posse foi uma solenidade simples, acompanhado do Pe. João Lima Feitosa, responsável pela paróquia desde a saída de Padre Afonso. Naquela ocasião foi celebrada a missa e para os presentes foi anunciada a posse do novo padre. Mesmo obedecendo à ordem superior, não imaginava que iria permanecer por tanto tempo na mesma paróquia.

Já no carnaval de 1972, o Pe. Araújo criou um Retiro Espiritual denominado “Encontro do Curral”, onde os participantes ficavam bem a vontade em ambientes na zona rural.Esses eventos eram realizados em áreas cedidas por fazendeiros da região, adequadas à prática da penitência e de pregações religiosas. Araújo também adotou logo  no início do seu tempo de vigário, a preparação pré-matrimonial para o casamento religioso em toda a paróquia, e não descuidou também de orientar os pais e padrinhos de crianças a serem batizadas. Ainda em relação às crianças, um dos seus maiores empenhos era fazer com que os pais registrassem seus filhos, legítimos ou ilegítimos, antes do sacramento do batismo, cuja adoção merece os louvores de todos os fiéis e da Igreja Católica.

O Padre Manoel Araújo foi o responsável por grandes construções nos locais por onde passava, como Casas Paroquias, igrejas e capelas. Em Nossa Senhora Aparecida ele liderou a construção da Igreja Matriz, obra que a época foi considerada exagerada pelas proporções da construção. “Eu começei a construir a igreja, mas o povo buliu tanto com a gente, construir uma igreja grande para quê? Esse padre é doido, num precisa de uma igreja grande dessa. Cheguei a pedir aos pedreiros que não dessem audiência a ninguém que chegava lá”, relatoo o padre durante depoimento ao livro Nossa Senhora Aparecida: História, Fé e Identidade.

Ainda em Nossa Senhora Aparecida, o Pe. Manoel Araújo realizava peregrinação semelhante atual Romaria da cidade. Ocorria durantes as noites do dia 12, em que todas as comunidades da paróquia se dirigiam até a sede do município. O padre ficava na igreja com o Santíssimo exposto, rezando com o povo, enquanto chegavam os peregrinos dos povoados e até da cidade de Ribeirópolis.

Em 1982 o Pe. Manoel Araújo foi visitar Roma. Lá, foi recebido pelo secretário Geral do Vaticano e em seguida pelo Papa João Paulo II. Ainda no Vaticano, Araújo co-celebrou uma missa na Capela Cistina, ao lado do líder mundial da Igreja Católica Apostólica Romana.

Na sua volta de Roma, o Pe. Araújo voltou a organizar as Santa Missões, que além de mobilizar multidões tinha a participação de padres, bispos e o povo de um modo geral. Nesse período, tiveram as passagens de Frei Fidelis, Frei Fernando, Frei Orlando e Frei Damião. Uma das passagens mais marcantes foi sem dúvida de Frei Damião, que no príncipio vinha apenas para Ribeirópolis, mas já no final do período de Manoel Araújo à frente da paróquia, ele se deslocava para Nossa Senhora Aparecida e São Miguel do Aleixo.

Em 1992, o Padre Manoel Araújo deixou a paróquia e voltou para Itabaiana onde permaneceu até 1994 na freguesia de Santo Antônio e Almas de Itabaiana.

Com informações do livro “Padre Manoel Araújo: O Missionário da Fé e Esperança” e Nossa Senhora Aparecida: História, Fé e Identidade.

Gostou? Compartilhe:

Veja Também
Comentários