Política

Senador itabaianense diz "SIM" a impeachment e defende inelegibilidade

Defesa da petista alega erro formal de condução e solicitará novo julgamento.
por Redação do Portal Itnet
01/09/2016 10:28h

Senador itabaianense diz "SIM" a impeachment e defende inelegibilidade

Por Iane Gois

Entendendo que Dilma Rousseff (PT) cometeu crime de responsabilidade e, portanto, deveria ter os direitos políticos cassados, conforme determina a Constituição, o senador itabaianense Eduardo Amorim (PSC) votou "SIM" pelo afastamento definitivo da petista, bem como pela inelegibilidade.

Contudo, chamando a atenção até mesmo de juristas que questionam a condução dada ao processo, 36 dos 61 senadores que aprovaram a destituição mostraram um desdobramento no mínimo estranho ao defenderem que mesmo perante a condenação, Dilma está apta a disputar a presidência em 2018.

Recorrendo ao Supremo Tribunal Federal (STF), em uma ação de mais de 40 páginas a defesa da petista contestará a decisão que levou à interrupção do mandato por 61 votos a 20, alegando que houve um erro formal na condução do processo pelo Senado, o que motivaria a anulação do julgamento.

Assim como Amorim, os senadores sergipanos Antônio Carlos Valadares (PSB) e Maria do Carmo (DEM) foram favoráveis ao impeachment. No entanto, enquanto Maria optou pela abstenção no tocante à inabilitação, Valadares defendeu pela permissibilidade na ocupação em cargos públicos.

Gostou? Compartilhe:

Veja Também
Comentários