Política

Governo teve 51 votos além do necessário, totalizando 359 "sim"

Somente dois dos representantes do menor estado da federação foram contrários à emenda
por Iane Gois
26/10/2016 08:32h
Atualizado em 26/10/2016 08:39h
Imagem extraída de transmissão pela TV Câmara
Imagem extraída de transmissão pela TV Câmara mostra votação final

Por Iane Gois

Aprovada em 2º turno na Câmara dos deputados, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece um teto para o aumento dos gastos públicos pelas próximas duas décadas teve 359 votos favoráveis, 51 a mais do total que o governo Temer necessitava, e 116 contrários, quórum semelhante ao da primeira votação, quando 366 deputados disseram “sim” e 111 “não”.

No tocante ao posicionamento dos parlamentares sergipanos, a escolha também foi parecida com a votação inicial, diferenciada apenas pela ausência de Fábio Mitidieri (PSD), que no 1º turno foi favorável à mudança.

Bosco Costa (PROS) e João Daniel (PT) mantiveram a decisão e foram contra à emenda constitucional. Já Adelson Barreto (PR), André Moura (PSC), Fábio Reis (PMDB) e Laércio Oliveira (SD) consentiram com a retificação.

O texto seguirá para análise no Senado, onde deverá ser votado em 13 de dezembro.  

Gostou? Compartilhe:

Veja Também
Comentários