Educação

Docentes da UFS aprovam indicativo de greve

A data aprovada do indicativo de greve é 28/11.
por Redação do Portal Itnet
09/11/2016 17:13h

Seguindo orientação do sindicato nacional, a assembleia geral ocorrida na tarde do dia 08/11 discutiu e deliberou indicativo de greve docente em articulação com os setores da educação, com a seguinte pauta: contra a Proposta de Emenda Constitucional 55 (PEC 241 na Câmara) e contra a Medida Provisória 746. A data aprovada do indicativo de greve é 28/11, por tempo determinado até a votação do Senado da PEC 55. 

Os professores também votaram por participar do Dia Nacional de Luta com mobilização, protestos e paralisações, marcado para 11 de novembro, um dia convocado pelas centrais sindicais com intuito de paralisar o país contra a avalanche de medidas que ferem direitos históricos da classe trabalhadora. Em Sergipe, a manifestação começa às 7h, com concentração no Hospital Universitário e marcha até o terminal Zona Norte, com falas e panfletagem. 

Conforme nota emitida pelos setores dos docentes das IFES e IEES/IMES, que se reuniu nos dias 5 e 6/11, “diante do aumento das ocupações estudantis, da deflagração de greve nacional da FASUBRA e do SINASEFE, temos um acirramento da conjuntura e, portanto, um desafio para o conjunto do Sindicato Nacional e do setor da educação: intensificar as ações radicalizadas em unidade com demais setores e apontar perspectivas de luta para o período próximo”. 

O presidente da ADUFS, professor Airton Paula, ressaltou que o indicativo de greve aprovado é por motivo político, não por salário ou carreira docente, e está sendo construído nacionalmente como forma de barrar a ofensiva de retirada de direitos. Segundo Airton, faz aproximadamente 15 anos desde a última greve política do sindicato nacional.

A PEC 55, que tem previsão de votação em primeiro turno no Senado no dia 29/11, prevê congelamento do orçamento direcionado aos setores sociais como Saúde, Educação, Segurança, Previdência, durante 20 anos, corrigido apenas pela inflação do ano anterior, uma medida que representará a destruição do serviço público. 

Já a MP 746, chamada reforma do ensino médio, pretende fixar como disciplinas obrigatórias apenas português, matemática e a língua inglesa, deixando matérias como filosofia, sociologia e artes, consideradas importantes para formação do pensamento crítico, como opcionais. Ela ainda estabelece que profissionais sem licenciatura ou formação específica sejam contratados para ministrar aulas. 

Até o momento, já são sete universidades federais em que já foi deflagrada greve da categoria docente contra a PEC 55 e a MP 746/2016: Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Universidade Federal de Alfenas (Unifal), a Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Os docentes da Universidade de Pernambuco (UPE), instituição estadual, também deflagraram greve com pauta local, e em protesto à PEC 55 e à MP 746/2016. 

Os docentes em assembleia também aprovaram a entrada da ADUFS no Comitê Sergipano da Auditoria da Dívida, indicando o nome da professora Sônia Meire para representar a seção sindical, e o envio de um ônibus para participar da Marcha Nacional à Brasília. 

Confira a agenda aprovada para novembro:

11/11 – Dia Nacional de Luta com mobilização, protestos e paralisações. Em Sergipe, haverá passeata saindo do HU e marcha até o terminal Zona Norte, com falas e panfletagem.

21 a 24/11 – Rodada de AG para deflagrar ou não a greve do ANDES-SN (a depender dos encaminhamentos dos setores dos dias 19 e 20/11);

25/11 – Dia Nacional de Luta com mobilização, protestos e paralisações.

28 e 29/11 - Marcha Nacional à Brasília;

28/11 – Indicativo de greve por tempo determinado até a votação do Senado da PEC 55

 *Com informações da ADUFS e ANDES-SN.

Gostou? Compartilhe:

Comentários
Veja Também