Saúde e Ciência

Chikungunya: casos no Brasil aumentaram 850%

País viverá novo surto da doença nos próximos meses, segundo a OPAS.
por Iane Gois
24/11/2016 11:41h
Atualizado em 24/11/2016 11:51h

Por Iane Gois

Dados do Ministério da Saúde (MS) apontam para o crescimento em 850% nos casos de chikungunya no Brasil, se comparados os números de 2015 com os de 2016, quando foram contabilizados 26.435 e 251.051, respectivamente, e a previsão é que em 2017 o saldo seja maior.

Confirmando o aumento no índice, as estatísticas divulgadas nesta quinta-feira (24) mostram que o número de mortes em decorrência da doença também aumentou, tendo sido registrados seis óbitos em 2015 e 138 em 2016.

Em Simpósio Internacional da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) realizado nos início de novembro o alerta da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) foi dado no sentido de que o país viverá um novo surto da febre chikungunya nos próximos meses, tendo em vista as chuvas no final do ano, propícias à proliferação do Aedes aegypti, transmissor da febre chikungunya, dengue e zika vírus.

FEBRE CHIKUNGUNYA

Semelhante a dengue, é causada pelo vírus CHIKV, da família Togaviridae e tem como vetor o mosquito Aedes aegypti infectado e, menos frequentemente, pelo mosquito Aedes albopictus.

Febre, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço compreendem os principias sintomas da doença, diferindo da dengue e zika pelas fortes dores, inchaço, vermelhidão e calor nas articulações.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo