Policial

Nove detentos conseguiram escapar quebrando tijolos da unidade

Com a falta de agentes penitenciários, servidor administrativo tomava conta da guarita no momento da ação dos presos, segundo o presidente do Sindipen.
por Iane Gois
05/12/2016 07:29h
Buraco feito pelos fugitivos na parede do Cadeião (Foto: Sindpen/Divulgação)
Buraco feito pelos fugitivos na parede do Cadeião (Foto: Sindpen/Divulgação)

Por Iane Gois

Após a fuga registrada na madrugada da última sexta-feira (02) no Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan), em São Cristóvão, mais detentos conseguiram retomar a liberdade nesta segunda-feira (05), desta vez fugindo do Cadeião do município de Nossa Senhora do Socorro (SE).

Ainda não há informações oficiais sobre a identidade dos foragidos, mas de acordo com um funcionário que estava na guarita no momento da ação, cerca de nove dos 500 presos que superlotam a unidade tiveram êxito na evasão após quebrarem tijolos e escaparem pela cerca.

Segundo o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários e Servidores da Sejuc (Sindpen-SE), Luciano Nery, atualmente a ocupação no cadeião favorece a fuga, vez que, além dos 340 detentos a mais, o local não dispõe do quantitativo de agentes penitenciários que é realmente necessário para fazer a segurança, realidade que se aplica na maioria dos presídios do estado.

“O Cadeião está superlotado, tem mais de 500 presos e capacidade para 160 detentos. No momento da fuga tinham cinco agentes penitenciários trabalhando, quando era preciso ter pelo menos 30. Das duas guaritas, apenas uma está ativada e quando houve a fuga o responsável era um servidor administrativo que estava na função”, disse Luciano.

 Até o momento dois dos supostos nove detentos já foram recapturados.

Gostou? Compartilhe:

Comentários
Veja Também