Policial

Itabaianense é executado com tiros na cabeça. Homicídios já somam 103

Crime ocorreu na manhã desta quinta (8) na estrada de acesso ao povoado Pé do Veado.
por Iane Gois
08/12/2016 08:16h
Atualizado em 08/12/2016 08:20h
Corpo à espera do rabecão do IML (Foto: reprodução/redes sociais)
Corpo à espera do rabecão do IML (Foto: reprodução/redes sociais)

Por Iane Gois

Os dias passam e a certeza de que o ano será encerrado com um quantitativo de homicídios assombroso só aumenta. Há pouco mais de vinte dias para a chegada de 2017, Itabaiana segue liderando entre os municípios sergipanos com maior incidência de mortes com emprego de violência e nesta quinta-feira (8) o número aumentou.

Contra 89 assassinatos ocorridos em 2015, atualmente a cidade já contabiliza 103 execuções com a registrada hoje, que teve como vítima José Ireno das Neves Cunha, 51 anos, mais conhecido como Motorzinho.

Segundo a polícia militar, ele é ex-presidiário e trafegava em uma moto Bros de cor amarela na estrada que dá acesso ao povoado Pé do Veado, às margens do Açude da Macela, onde fora surpreendido pelo infrator, que efetuou diversos disparos de arma de fogo na região da cabeça.

De acordo com informações do repórter Ailton Lira, na garupa da motocicleta havia um vaso com leite, vez que Motorzinho teria saído de uma fazenda situada na área do fato e estaria se deslocando para entregar o material. Nada da vítima foi levado.

Seguindo a linha apresentada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-SE) no tocante ao fato de a maioria das ocorrências terem como protagonistas pessoas com algum tipo de relação com o mundo do crime, o questionamento que fica é a respeito de Itabaiana, a primeira entre as cidades do interior do estado quando o assunto é violência, conforme dados do 10º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, não receber reforço da Força Nacional, que deverá chegar ao estado para atuação exclusiva em Aracaju.

Onde estão os olhos que se voltariam com maior dedicação para Itabaiana? Cadê a preocupação que tanto se propagou durante as campanhas políticas? Sem medidas eficazes e estrutura necessária ao combate à criminalidade, troca de comando em Batalhão e na coordenação de Delegacia serão apenas paliativos. Com as estatísticas crescendo, polícias continuam a enxugar gelo e a ‘princesa da serra’ reafirmando o título de ‘rainha da violência’.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo