Nacional

12 dos 15 vereadores de Foz do Iguaçu são presos pela Polícia Federal

Investigações apontaram irregularidades em processos licitatórios de prestação de serviços e realização de obras para a prefeitura, além de possíveis desvios desvios de recursos na Câmara Municipal da cidade.
por Iane Gois
15/12/2016 08:20h
Atualizado em 15/12/2016 08:21h

Por Iane Gois

Em diligências pela 5ª fase da ‘Operação Pecúlio’, batizada de "Nipoti”, a Polícia Federal cumpre 78 mandados judiciais desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (15) em cidades do Paraná, Distrito Federal e Pernambuco.

Do total de mandados, 20 são de prisão preventiva, 8 de prisão temporária, 11 de condução coercitiva e 39 de busca e apreensão. Entre as prisões estiveram as dos 12 dos 15 vereadores de Foz do Iguaçu.

A operação é fruto de investigações acerca de irregularidades em processos licitatórios de prestação de serviços e realização de obras para a prefeitura de Foz do Iguaçu, onde supostos desvios de recursos na Câmara Municipal também são foco dos agentes.

Segundo a PF, foram constatados danos avaliados em torno de R$ 4,5 milhões somente em algumas obras de pavimentação em Foz do Iguaçu, “ainda sem levar em consideração o prejuízo potencial em razão da péssima qualidade das obras, o que reduzirá consideravelmente o tempo de vida útil destas", declarou a PF.

A PF explicou que o nome da operação – Nipoti – é um substantivo comum de dois gêneros da língua italiana, que significa sobrinhos ou netos. E que a palavra nepotismo tem origem na palavra nepos, nepote, do latim, que se prende à ideia de descendência, parentesco, assumindo o sentido de favoritismo para com parentes.

*Com informações do G1PR

Gostou? Compartilhe:

Comentários
Veja Também