Cidade

Insalubridade em Batalhões afeta militares sergipanos

“Presos em delegacias são mantidos em melhores condições que muitos militares de BPM’s. Isso é uma vergonha, desumanidade conosco”, desabafou PM.
por Iane Gois
20/12/2016 13:00h

                   

Por Iane Gois

 Infiltrações, paredes mofadas, fiações expostas, ares-condicionados e bebedouro em péssimo estado de conservação, armários velhos e fogão industrial em deplorável estado, inclusive com vazamento de gás, integram problemas aos quais militares lotados no 4º Batalhão de Polícia Militar, em Canindé de São Francisco, têm sido cotidianamente submetidos.

A denúncia, comprovada por fotografias, foi feita pelo advogado da Associação dos Militares do Estado de Sergipe (AMESE), Márlio Damasceno, que apela às autoridades competentes para que medidas emergenciais sejam adotadas no sentido de oferecer melhores condições trabalhistas.

A realidade, no entanto, não é privilégio do 4º BPM. Em Itabaiana, no 3º BPM, problemas semelhantes são vivenciados e uma ação civil pública com pedido de tutela antecipada em face do Estado, processo número 201552101305, aponta para a necessidade de reforma da unidade, determinação até o momento descumprida.

Alojamento de cabos e soldados com banheiros péssimos, em real situação de desuso, forro do refeitório e do abrigo para sargentos danificado, colchões velhos e sujos, indignos ao descanso, além da precariedade da iluminação, são, há tempos, cenário de morte para quem defende vidas.

“Essa situação se arrasta há algum tempo. Presos em delegacias são mantidos em melhores condições que muitos militares de BPM’s. Isso é uma vergonha, desumanidade conosco”, desabafou um PM que prefere não ser identificado.

Quando realizadas, melhorias ínfimas são fruto de doações de comerciantes locais e apoio do Município.

Gostou? Compartilhe:

Veja Também
Comentários