Cidade

Abastecimento de água para irrigação será suspenso por tempo indeterminado em Malhador

Apenas os produtores de batata poderão molhar suas plantações.
por Redação do Portal Itnet
19/01/2017 07:52h

Por Ascom  Semarh.

O fornecimento de água para irrigação no município de Malhador será suspenso por tempo indeterminado. A medida foi tomada de forma consensual na manhã desta quarta-feira, 18, durante reunião da força-tarefa formada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), além de órgãos estaduais, instituições voltadas para a preservação das bacias hidrográficas e representantes da sociedade civil que se encontram semanalmente para traçar novas medidas de enfrentamento ao desperdício de água e, com isso, garantir o abastecimento para consumo humano e animal em meio à crise hídrica que castiga a cidade. 

Durante a reunião, coordenada pelo secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Olivier Chagas, e pelo diretor da Superintendência de Recursos Hídricos, Pedro Lessa, ficou também decidido que apenas os produtores de batata poderão molhar suas plantações, exclusivamente, na véspera da colheita. 

As medidas, embora enérgicas, foram encaminhadas em virtude do agravamento da situação de escassez hídrica a qual o Nordeste brasileiro vem passando. O meteorologista da Semarh, Overland Amaral, participou da reunião e reafirmou que o cenário para os próximos meses não é bom e que as chuvas, previstas para 19 a 21 de janeiro, que teriam média de 40 milímetros, perderam força e não servirão para atenuar o problema. 

Segundo a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), hoje a vazão da barragem que abastece a cidade, proveniente dos Rios Mata Verde e Cajueiro dos Veados, permanece com 61 metros cúbicos, sendo que o básico seria 82m3. Se a vazão continuar a cair, o rodízio, que hoje é realizado na cidade dia sim, dia não, vai subir para dois ou até três dias. "O quadro não mudou. Mesmo com as medidas anteriormente tomadas, não conseguimos ter 24 horas seguidas de abastecimento. Não há volume suficiente nas barragens", diz Luiz Carlos, coordenador de preservação e revitalização dos mananciais da Deso.

​​"Medida necessária"

Para Olivier Chagas, a suspensão do abastecimento para irrigação é necessária para garantir o mínimo de água para a população. "É público e notório que o Estado tem buscado resolver o problema, através do diálogo. Essa é a nossa política, dialogar com os usuários de água e se chegar a uma posição que seja melhor para todos. É fato concreto que a água deve ter prioridade para consumo humano. Estamos chegando a essa medida extrema, mas consensual com toda a comissão formada por representantes de bacias hidrográficas, técnicos da Semarh, Deso, Cohidro, pessoas da sociedade civil, os próprios irrigantes, membros da Prefeitura. Estamos sendo muito claros em nossos posicionamentos. É uma medida amarga, mas necessária".

Para Pedro Lessa, como não houve melhoria com relação às medidas anteriormente adotadas e não choveu nos últimos dias, a interrupção no abastecimento é pertinente. "Não houve melhoria na captação da Deso. Tomamos alguns encaminhamentos e nada. A suspensão de toda a irrigação, com exceção daqueles produtores de batata que estão na véspera da colheita, será mais que necessária, é a nossa alternativa, infelizmente".

Ainda conforme Pedro Lessa, foi solicitado à Deso a possibilidade de se discutir meios de coibir a utilização irregular da água por parte da população, como lavar carro, calçada, etc. "A crise é grande e o cenário não é bom. Temos um alento nos próximos meses, a partir de março, de entrarmos no período úmido, mas é só isso", concluiu.

Participação

Também participaram da reunião os representantes das bacias hidrográficas dos Rios Sergipe, Japaratuba e Piauí, Manuel Vasconcelos, Rosa Cecília e Luiz Carlos, respectivamente, os professores do IFS Tatiana Albuquerque e Jorge Luiz, Marcílio Correa, da Petrobras, José Dias, da Secretaria de Estado da Agricultura, além da secretária de Agricultura de Malhador, Josefa Meneses, e representantes dos produtores de Malhador e do Pelotão Ambiental.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo