Saúde Legal

Impotência poderá ser revertida com nova terapia que não necessita de medicamentos

A disfunção erétil afeta quase metade dos homens com idade entre 40 e 70 anos.
por Jeferson Machado
31/03/2017 19:55h

No último sábado, 25, pesquisadores dinamarqueses apresentaram numa conferência da Associação Europeia de Urologia, em Londres, um resultado bastante promissor para os portadores de disfunção erétil, uma terapia que pode reverter a impotência sexual. 

Os pesquisadores, liderados por Martha Haahr do Hospital da Universidade de Odense (Dinamarca), injetaram células-tronco retiradas da gordura abdominal via lipossucção no pênis de 21 voluntários. Seis meses após o procedimento, oito dos pacientes (cerca de 40%) relataram ter reconquistado a capacidade de ereções espontâneas, sem a necessidade de nenhum medicamento, injeções, implantes ou outras terapias.

Um ano após a terapia, os participantes afirmaram ainda manter as ereções, e sem o aparecimento de efeitos colaterais, um dos pontos negativos do uso de medicamentos contra a disfunção erétil. Apenas relataram o incômodo e medo de receber uma injeção no pênis no primeiro dia, porém nada que preocupasse ou inviabilizasse a pesquisa. O procedimento também não necessita de internação, e o indivíduo é liberado da clínica no mesmo dia.

Martha Haahr afirma que esses dados são apenas o início da pesquisa e que está um pouco longe de poder oferecer publicamente. Mas, acredita que a terapia evoluirá bastante e venha a resolver diversos problemas atuais, como os temidos efeitos colaterais dos medicamentos para impotência. 

Novos voluntários estão em uma segunda etapa da pesquisa, para dar validade e maior segurança nos dados. A disfunção erétil atinge quase metade dos homens com idade entre 40 e 70 anos e merece uma atenção especial, pois trata-se de uma questão da saúde masculina de âmbito bastante amplo, e que envolve uma série de problemas secundários, tanto físicos como emocionais.

Jeferson Machado Santos.
CRF-SE: 658.

Farmacêutico pela Universidade Federal de Sergipe - UFS.
Habilitação em Bioquímica Clínica pela Universidade Federal de Sergipe - UFS.
Especialista em Administração de Empresas pela FIJ-RJ.
Especialista em Farmacologia e Interações Medicamentosas pela Uninter-IBPEX.

Gostou? Compartilhe:

Veja Também
Comentários