Política

Eduardo Amorim vota contra Temer na reforma trabalhista

O relatório do senador Ricardo Ferraço foi rejeitado por 10 votos contrários e 9 favoráveis na Comissão de Assuntos Sociais
por Redação do Portal Itnet
20/06/2017 17:15h
Atualizado em 20/06/2017 17:15h

Michel Temer sofreu a primeira derrota na votação da Reforma Trabalhista no Senado. No início da tarde desta terça-feira, 20, ao contrário do que previa o Palácio do Planalto, o relatório do senador Ricardo Ferraço do PSDB do Espírito Santo, foi rejeitado por 10 votos contrários e 9 favoráveis na CAS ( Comissão de Assuntos Sociais).

Um dos fatores decisivos para a derrota de Michel Temer na comissão de Assuntos Sociais foi o voto contrário do Senador sergipano Eduardo Amorim, do PSDB, que mesmo sendo aliado do Presidente Michel Temer acabou por seguir os seus princípios e votou contra o relátorio de Ferraço.

Além do Senador sergipano, o Senador Helio José, do PMDB, também da base do governo votou contra. O senador Otto Alencar (PSD-BA), contrário à reforma, votou como suplente de Sérgio Petecão (PSD-AC), que estava ausente a votação.

O parecer aprovado pela comissão, nesta terça-feira foi o voto em separado do senador petista e que pede a rejeição integral do texto. A matéria agora segue para Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), e já na quarta-feira (21), deverá ser lido o relatório de Romero Jucá (PMDB-RR) e os prováveis votos em separado da oposição.

Apesar de o texto do governo ter sido rejeitado na Comissão de Assuntos Sociais, a reforma trabalhista ainda vai passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e, por fim, pelo plenário do Senado.

Segundo a Mesa Diretora do Senado, os relatórios das comissões vão servir de orientação para a votação em plenário. O texto que vai ser analisado em plenário é a matéria que veio da Câmara.

Com informações da Agência Senado.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo