Saúde e Ciência

Diretor clínico esclarece suposto ato de negligência na Maternidade São José, em Itabaiana

Durante a manhã, circulou a informação de que uma criança havia falecido na Unidade por falta de atendimento. Entenda o caso.
por Redação do Portal Itnet
28/06/2017 11:56h

Por Taís Cristina, da redação.

Durante a manhã de hoje, 28, circulou em redes sociais e veículos locais a informação de que uma criança recém-nascida teria morrido na Maternidade São José, em Itabaiana, por conta de negligência da instituição. Nossa equipe conversou com Carlos Noronha, Diretor Clínico da São José, que esclareceu a situação.

Segundo Carlos, a gestante, uma itabaianense de 24 anos, deu entrada na maternidade por volta das 18 hs da segunda-feira, 26. Como ela já estava com mais de 40 semanas, foi iniciado o processo de indução ao parto normal, fato comum nesse período da gestação.

Na terça-feira, 27, ela deu a luz por volta das 10 hs, e a criança nasceu com um estado de saúde grave. “A criança, do sexo masculino, nasceu com mecônio (ela aspirou fezes enquanto estava na barriga da mãe), algo que não tínhamos como saber, pois os batimentos estavam normais; às 10:40 hs nós solicitamos uma vaga na UTI da Maternidade Santa Isabel, em Aracaju, já que o estado do bebê era considerado grave, e nossa unidade não possui UTI e um suporte adequado para casos como este”.

Como a maternidade não possui ambulância, Carlos conta que acionou o SAMU, que chegou na instituição depois das 14 hs. Até esse horário, o bebê seguia recebendo atendimento na São José e estava entubado. Assim que o SAMU chegou na maternidade, durante o processo de transferência, a criança se destubou, processo que ocorreu naturalmente.

Aí então foi necessária a volta dela para a unidade, para que o pediatra fizesse o processo de entubação novamente. Reentubado, pouco tempo depois o bebê veio a óbito. Carlos afirma que não houve negligência por parte da maternidade, e que tanto o recém-nascido como a mãe, receberam os cuidados que estavam ao alcance dos profissionais daquela instituição.

O problema é maior, e gira em torno de uma questão de gestão do dinheiro público com a saúde pública. Como vimos, a maternidade fez o que estava ao seu alcance, porém, por uma má gestão do dinheiro público, esta não tem o suporte necessário para atender pacientes em uma situação grave, como uma UTI, ou então uma ambulância para facilitar o transporte de crianças em estado de risco até Aracaju.

Com prontuário em mãos, o diretor da unidade mostrou que todos os procedimentos cabíveis à maternidade foram tomados, disse que não houve negligência por parte dela e lamentou o acontecido, afirmando estar ciente de que todos os profissionais da São José fizeram sua parte em ajudar e tentar salvar a vida do bebê.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo