Saúde e Ciência

Vigilância e Conselho de Educação Física irão fiscalizar academias

Nas fiscalizações, os órgãos darão também orientações sobre o uso de substâncias, como anabolizantes, que estão no mercado e que podem causar danos à saúde.
por Redação do Portal Itnet
24/08/2017 16:24h

Por SES.

Pensando na segurança da saúde da população, a Vigilância Sanitária Estadual, que faz parte da Secretaria de Estado da Saúde (SES), e o Conselho Regional de Educação Física de Sergipe (CREF), se reuniram na manhã desta quinta-feira, 24, para ajustar uma parceria e realizar em conjunto ações de fiscalização em academias do estado e também em estabelecimentos que prestam serviço na área da atividade física.

Segundo Antônio de Pádua Pombo, coordenador da Vigilância, com a parceria dos órgãos públicos e a harmonização das ações, a população é quem será beneficiada. "Queremos institucionalizar uma parceria para fazermos constantemente fiscalizações em academias, principalmente nas do interior do estado, e demais locais que oferecem serviços ligados à saúde, garantindo assim mais segurança a população que frequenta esses locais. Todos os estabelecimentos que executam serviços da área da saúde precisam de uma licença emitida pela Vigilância Sanitária, seja Estadual ou Municipal, para funcionarem e este é um dos pontos que serão fiscalizados nas ações", disse.

Já Gilson Dórea, presidente do CREF em Sergipe, conta que, durante as ações, serão fiscalizadas, além da licença sanitária, se os estabelecimentos têm um profissional de educação física devidamente habilitado. "Juntos, fiscalizaremos se os estabelecimentos, entre academias, estúdios, clubes e escolas tem, além da licença, o registro perante o Conselho e também o profissional de educação física habilitado. Com a parceria, estamos unindo forças em defesa do bem estar da população e evitando que estes estabelecimentos atuem de forma irregular", conta.

Orientação

Nas fiscalizações, os órgãos darão também orientações sobre o uso de substâncias, como anabolizantes, que estão no mercado e que podem causar danos à saúde. "Precisamos também estar fazendo sempre esse trabalho de orientação com a sociedade porque, infelizmente, algumas pessoas que praticam atividade física ainda utilizam de maneira errada determinadas substâncias que podem causar danos à saúde e até levar ao óbito", frisa Gilson.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo