Cidade

Especial Itabaiana 129 anos: na feira de Itabaiana, de tudo a gente vê...

A feira de Itabaiana é considerada a maior e melhor feira do estado de Sergipe. Ela recebe pessoas de toda a parte do estado toda quarta e sábado.
por Redação do Portal Itnet
26/08/2017 08:44h
Atualizado em 26/08/2017 08:46h
Fotos: Taís Cristina

 

Por Taís Cristina

A Feira de Itabaiana é considerada a maior feira ao ar livre do estado de Sergipe. São cerca de 1.100 feirantes, distribuídos em aproximadamente 800 barracas, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, todas as quartas-feiras e sábados. Na feira, se encontra os mais variados produtos; têm verduras, frutas, roupas, artesanato, produtos de limpeza, utensílios domésticos, tecidos, doces, enfim, é uma infinidade de produtos. A feira é um dos aspectos culturais importantes para a história e identidade do município serrano, e quem trabalha nela transborda sorriso no rosto e satisfação, coisa popular do itabaianense, que se orgulha pela boa fama que tem de saber negociar.

O feirante Dernival Batista Maciel tem 65 anos de idade,e começou a trabalhar na feira quando tinha 20 anos. Ele é nascido e criado em Itabaiana, e se orgulha da sua terra e do seu emprego; ele vende banana e afirma, com todas as letras, que a Feira de Itabaiana é a melhor do Estado.

Dernival não é o único a falar isso. Esse é um fato que a maioria dos feirantes faz questão de dizer “de boca cheia”, que a feira serrana se destaca em todo Sergipe e é diferenciada, não só pelos produtos, mas pelo povo que a compõe, que acorda cedo para trabalhar, sempre com um sorriso no rosto de satisfação. Maria Ilde é uma dessas feirantes que não hesita em colocar um sorriso no rosto na hora de trabalhar. Ela tem 37 anos de idade, e desde que tinha cinco anos trabalha como feirante.

 Maria Ilde vende caranguejo, coco, milho, verdura, de tudo um pouco. Ela se orgulha da sua profissão, pois é através dela que consegue o sustento de sua família; e também da sua terra, que para ela, não há melhor. “Eu moro na zona rural de Itabaiana, e gosto muito do meu lugar, porque tudo de bom a gente encontra um pouco por aqui. O itabaianense é de bom coração, gosta de trabalhar e ajudar os outros. Tudo de bom que há se encontra um pouquinho em Itabaiana”, conta ela.

A Feira de Itabaiana surgiu no ano de 1888. No início ela acontecia somente aos sábados, na Praça Fausto Cardoso, onde atualmente está localizada a Igreja Matriz do município; depois, com o tempo, ela foi transferida para o Largo Santo Antônio, onde está até os dias atuais. Com o crescimento e sucesso da feira, que atraía gente de todas as regiões, ela passou a acontecer também nas quartas-feiras, e assim persiste até hoje.

Atualmente, a Feira ocupa as principais ruas do centro do município, os Largos Santo Antônio e José do Prado Franco (este criado mais tarde para dar suporte à Feira), dois mercados conhecidos pelos itabaianenses como “Mercado da Carne”, pois somente este produto é comercializado, e um mercado ainda maior, conhecido como “Mercadão”, onde diversos produtos são comercializados.

É tanta gente, pessoas de Itabaiana, da zona rural, pessoas de outros municípios do Agreste sergipano, tanta mercadoria espalhadas pelas passarelas estreitas que se criam entre as barracas, que fica até difícil circular pelo local. E olhe que o que não falta na Feira é movimentação de gente fazendo compras! A maioria dos produtos comercializados na feira, como alimentos, hortaliças, frutas e verduras, são produzidos no município mesmo, outra parte vem de outros estados, principalmente produtos irrigados, como morango e melancia.

Outro aspecto importante na feira é o jeito itabaianense de saber negociar, parece que o povo nasceu com esse dom “nas veias”. O feirante tenta sempre satisfazer o cliente, fazendo com que este não saia da banca (como são conhecidas popularmente as barracas na feira), sem levar ao menos um produto; e quando o desconto é bom, o cliente sempre leva mais; e em Itabaiana então, onde “se encontra tudo”, é difícil sair sem levar nada. “Você vem à feira pra comprar fruta e verdura, mas aí você lembra que tá faltando um produto de limpeza, então já compra por aqui mesmo. Passa por uma barraca e vê um vestido bonito com preço bom, compra também. Não tem como não levar nada, porque aqui tem de tudo”, conta a itabaianense Rafaella Menezes Lima, que vai à feira todos os sábados e as vezes vai na quarta também.

E se tem uma coisa que não tem na maior feira ao ar livre do estado é concorrência. Tem espaço para todos venderem os seus produtos, e tem clientes para todos também, porque o jeito do feirante itabaianense é um só, todos trabalham em busca da satisfação dos clientes.

Seu Antônio Carlos trabalha como feirante há 10 anos. Ele vende sapatos, e diz que em Itabaiana, não só na feira, tudo é grandeza. “O povo daqui é guerreiro, gosta de trabalhar, por isso tem emprego pra todo mundo e espaço na feira também. Eu mesmo vendo sapatos, não sou o único, tem muita gente que vende também, mas tem espaço para todos”, salienta ele.

É por fatores como estes que a feira da cidade serrana é um verdadeiro sucesso, é a maior feira ao ar livre do estado e atrai muitas pessoas de “todo canto” de Sergipe, todas as quartas-feiras e sábados, porque de tudo se encontra nela e os feirantes se orgulham da profissão e a fazem com um sorriso no rosto, sempre. Sabe aquela música de Luís Gonzaga, Rei do Baião, que diz assim: “Na Feira de Caruaru, de tudo a gente vê”!? Pois é, em Itabaiana “a gente” vê de tudo e mais um pouco.

 

 

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo