Cidade

Getam cria projeto com aulas de judô para crianças e adolescentes de comunidades carentes de Itabaiana. Conheça

Atualmente, cerca de 40 crianças participam do “Treinando e formando cidadãos”, mas o objetivo é expandir ainda mais.
por Redação do Portal Itnet
21/09/2017 11:36h
Atualizado em 21/09/2017 11:41h

Por Taís Cristina

Fotos: Taís Cristina

 

O Grupamento Especial Tático de Motos (Getam) do 3º Batalhão (3º BPM), com sede em Itabaiana está com um projeto intitulado “Treinando e formando cidadãos”, que tem como objetivo interagir com crianças e adolescentes de comunidades carentes do município através de artes marciais. Atualmente, cerca de 40 crianças participam do projeto, que envolve alunos da Escola Municipal Elizeu de Oliveira, localizada no bairro Miguel Teles, conhecido como “bairro da Torre”.

O projeto teve início no mês de setembro, e tem ainda muito a crescer. De acordo com o Cabo Santiago, um dos idealizadores, o projeto vai ser expandido para várias escolas. “Inicialmente escolhemos a escola do bairro da Torre por conta de ser um local periférico e vulnerável, mas vamos ampliar”, conta ele. Atualmente os participantes tem aula de judô, mas em breve terão também de outras artes marciais, a exemplo, a capoeira.

Em menos de um mês em atuação, o “Treinando e formando cidadãos” já recebeu o apoio e o incentivo do Serviço Social da Indústria (Sesi), através do Superintendente Acrízio Campos, que acompanhou de perto o projeto e doou placas, fardamento e garrafinhas para os participantes. As aulas de judô são ministradas pelos próprios policiais do 3º BPM.

De acordo com a Coordenadora Pedagógica da escola participante, Ivone Menezes, os alunos gostam muito das aulas e isso se torna um incentivo para eles. As aulas acontecem todas as terças e quintas-feiras, na própria sede do Getam, localizada na Av. Dr. Luíz Magalhães. “A Prefeitura de Itabaiana disponibilizou um ônibus que traz e leva os alunos de volta à escola”, afirma a Coordenadora.

Além de tudo, o projeto visa uma parceria entre a Polícia e a população, criando elos através de crianças, para que estas tornem-se adultos de bem. Ayslan, de 11 anos, é um dos participantes do projeto. “É muito legal participar; o judô é um esporte praticado por crianças muito educadas, e eu gosto muito das aulas”, conta o pequeno.

 

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo