Política

Prefeitura de Malhador ficará fechada por dois dias por conta da crise. Medida foi tomada pela prefeita Elayne

Hoje a amanhã, a Prefeitura funcionará apenas para os serviços essenciais.
por Redação do Portal Itnet
16/10/2017 15:06h
Atualizado em 17/10/2017 06:55h

Por conta da crise que assola grande parte do estado de Sergipe, a prefeita de Malhador Elayne de Dedé decidiu fechar a porta da prefeitura municipal por dois dias, hoje e amanhã. Durante estes dois dias, apenas os serviços essenciais estarão sendo realizados a instituição. A medida visa chamar a atenção e fazer um alerta à grave situação financeira que o município está passando, mesmo após redução de várias despesas.

Caso a situação não melhore, os salários dos servidores e os serviços prestador com fornecedores poderão ser comprometidos. serão reduzidos em breve. a gestora vem tomando atitudes a exemplo da redução em seu salário, do vice e dos secretários, demissões como forma de manter o funcionamento dos serviços essenciais.

Confira a nota divulgada pela prefeitura explicando a situação financeira do município:

"A crise atingiu todos os municípios brasileiros, a crescente despesa e a frequente queda de receita resultou no que já era esperado por todos, estamos diante de um quadro de falência financeira dos municípios.
Mesmo com uma secretaria de finanças organizada e as despesas sendo tratadas com todo zelo e cuidado, a prefeitura de Malhador também foi atingida, a situação segue uma lógica simples, se a despesa sobe (aumento de salário, despesas de manutenção, combustível, piso dos professores...) e a receita cai, se torna impossível administrar com o mesmo cenário de um ano atrás, torna-se então, imprescindível o corte de gastos.

Os cortes começaram nos salários de prefeita e vice-prefeito, ambos em 20% (vinte por cento) seguidos dos secretários municipais que tiveram seus salários diminuídos em 10% (dez por cento) além de estabelecer novas regras para despesa de qualquer natureza efetuada pelo município.

“Estamos diante de uma nova realidade na administração pública, em quatro anos e nove meses como gestora pública, não tinha visto ainda um quadro tão agravado nas finanças como esse que estamos vivenciando. Infelizmente não vejo ainda nenhuma solução para que o município saia dessa situação, então o melhor a fazer é reduzir os gastos de forma que possamos continuar a oferecer um serviço digno a população malhadorense, mesmo que isso represente cortes que podem afetar a todos”. Disse a prefeita de Malhador, Elayne de Dedé.

O fato é que não existe nenhuma esperança à vista e isso torna a difícil tarefa dos gestores em uma missão quase impossível de ser realizada com sucesso, só nos resta esperar que algo seja feito para amenizar toda essa situação".

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo