Cidade

João Doria entregará ao presidente do TCE três obras raras sobre Sergipe

O prefeito entregará em mãos ao presidente Clóvis Barbosa três obras raras que integram o acervo da Biblioteca Mário de Andrade, na capital paulista.
por Redação do Portal Itnet
26/10/2017 15:44h

Por DICOM/TCE

A passagem do prefeito de São Paulo, João Doria Junior, pelo Tribunal de Contas de Sergipe nesta sexta-feira, 27, tem uma importância institucional para o órgão. O prefeito entregará em mãos ao presidente Clóvis Barbosa três obras raras que integram o acervo da Biblioteca Mário de Andrade, na capital paulista. A doação é fruto de uma parceria institucional entre o TCE e a Prefeitura de São Paulo.

Na apresentação que fez para a edição das publicações, Clóvis Barbosa detalha alguns aspectos dos livros. O “Álbum de Sergipe – 1820-1920”, 333 páginas, de 1920, foi publicado por Clodomir Silva por ocasião do primeiro centenário da emancipação política do Estado. Na verdade, fala de Sergipe desde a doação da terra e colonização, a partir de 1534, aprofundando nos detalhes da história daqueles 100 anos.

“É uma publicação caprichada e rica em informações sobre a administração do Estado, os municípios, faz uma cronologia da imprensa sergipana e cita os homens públicos que inscreveram seus nomes na história. É criticado pela academia por alguns aspectos históricos e historiográficos. Mas o ‘Álbum de Sergipe’ de Clodomir Silva é uma obra rara e de inegável valor para a compreensão da formação de Sergipe”, observa.

Já o “Álbum photographico de Aracaju”, 47 páginas (40 delas de fotografias), edição da Casa Amador, de janeiro de 1931, é uma coletânea de belas imagens da cidade no alvorecer do século XX, com suas localidades, logradouros e prédios históricos, e a arquitetura eclética bem própria das repartições públicas da jovem capital. E há vistas panorâmicas de uma Aracaju ainda no início da sua construção, mas já se desenhando em torno dos seus palácios, casas e praças.

“Mas é a ‘Província de Sergipe’, com apenas 14 páginas, de 1870, a obra que chama mais atenção justamente pelo seu valor histórico. Ali estão provavelmente os dez mais antigos registros fotográficos de paisagens sergipanas, com destaque para o movimentado Porto de Aracaju, que ficava na ‘Foz do Cotinguiba’, ancorado na balaustrada da Rua da Frente”, informa Clóvis Barbosa.

O álbum “Província de Sergipe” não possui autoria conhecida, mas antes de chegar à Seção de Obras Raras e Especiais da Biblioteca Mário de Andrade, da Prefeitura de São Paulo, pertenceu ao paulista Barão Homem de Melo (1.5.1837 – 4.1.1918), que foi presidente das províncias do Ceará, do Rio Grande do Sul e da Bahia.

“Desde o dia 5 de setembro, quando nos encontramos no seu gabinete na Prefeitura de São Paulo e expus a ele o interesse de Sergipe, através do Tribunal de Contas e outras instituições envolvidas, de possuir a guarda de cópias idênticas desse acervo iconográfico, algo fundamental para a preservação da memória cultural do nosso povo, João Doria se mostrou sensível ao nosso apelo e imediatamente garantiu que faria a impressão das obras, dando esse presente a Sergipe. Presente, aliás, que deve ser muito caro a ele próprio, um descendente da família Costa Doria, de Estância”, lembra.

“Também não posso deixar de agradecer ao conselheiro do Tribunal de Contas do Município de São Paulo, Edson Simões, e ao secretário de Educação de Sergipe, Jorge Carvalho do Nascimento, pelo apoio indispensável à concretização desse projeto”, conclui.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo