Educação

Enem: professor de redação e estudantes comentam como foi a prova do primeiro dia

“Foi muito específico para estudiosos envolvidos com a educação, não para alunos do nível básico da educação”, diz professor.
por Redação do Portal Itnet
06/11/2017 11:30h
Atualizado em 06/11/2017 11:49h

Por Taís Cristina

Aconteceu ontem, 05, em todo o país o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que é a principal ferramenta para entrar em universidades públicas e também em particulares no Brasil. O momento mais esperado para o primeiro dia certamente foi a redação, e o tema deste ano: “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”, surpreendeu candidatos e também professores da área, além disso, dividiu muitas opiniões e confirmou o previsto: não adianta tentar adivinhar o tema, o foco deve ser a escrita e organização do texto dissertativo/argumentativo.

Para a estudante itabaianense Letícia Cardoso, “o tema da redação foi um pouco 'inesperado', já que as apostas giraram muito em cima de outras áreas como questões homofóbicas, doenças do século, como a depressão e suas causas, como suicídio. Falava-se também em algo que envolvesse os índios e no agronegócio, já que as propostas geralmente passam pelo presidente e é algo que ele dissemina no atual governo”.

 Ainda segundo a estudante, apesar disso, deu para discorrer bem sobre o assunto, já que a maioria dos professores falaram sobre ele. Vale lembrar que a nota tirada na redação corresponde à metade da nota geral, e é de sema importância se sair bem nesta área. No mesmo dia, também foram aplicadas as provas de Linguagens e suas Tecnologias e Ciências Humanas.

 Para o professor de Redação João Mendonça, “o foco temático trabalhado com o tema foi muito específico para estudiosos envolvidos com a educação e professores, não para alunos do nível básico da educação”. João disse também que ficou surpreso e confirmou o que sempre diz aos seus alunos: “O candidato que vai fazer a prova deve estar preparado para construir um texto de acordo com o gênero solicitado (dissertativo-argumentativo) dentro do que rezam as cinco competências, e não preparado apenas para os temas A, B ou C especificamente”.

Já a estudante Mayara Alves conta que não gostou do tema. “Não achei o tema adequado para o público alvo, pois os textos motivadores poderiam levar ao tangeciamento e, não tínhamos instruções suficientes para remeter apenas ao problema educacional”.

O aluno Lucas de Jesus vê a redação como sempre foi, com um olhar para as minorias. “O que espantou muitos alunos e professores foi a especificidade do tema, o que dificultou um pouco para argumentar devido à questão dos deficientes auditivos não ser muito debatida como tão específico e proposto pela banca”.

Segundo o professor de redação, o mais importante é trabalhar a Redação Enem com foco na estrutura e com intertextualidade, interdiscursividade e interdisciplinaridade, de forma a instigar no aluno a busca e a construção de uma contextualização dos mais diversos assuntos do dia a dia. No próximo domingo, 12, acontecerá o segundo dia de provas, onde serão feitas as questões de Matemática e suas Tecnologias e Ciências da Natureza.

 

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo