Entretenimento

Retratando a corrupção e um Brasil monstruoso, Beija-Flor foi a grande campeã do carnaval do Rio de Janeiro

Com críticas ao "Brasil monstruoso", escola falou de corrupção e intolerância e levou seu 14º título.
por Redação do Portal Itnet
15/02/2018 07:57h

A Beija-Flor de Nilópolis foi eleita ontem, 14, a grande campeã do carnaval 2018 do Rio de Janeiro. A escola fez um paralelo entre o romance "Frankenstein” e as mazelas sociais brasileiras. Corrupção, desigualdade, violência e intolerâncias de gênero, racial, religiosa e até esportiva formaram o cenário de "Brasil monstruoso". 

A Beija-Flor tem agora 14 títulos no Grupo Especial do Rio, atrás apenas de Portela e Mangueira no total de vitórias. Comandado por Neguinho da Beija-Flor, o samba-enredo “Monstro é aquele que não sabe amar (Os filhos abandonados da pátria que os pariu)” foi cantado em coro pelo público da Sapucaí, que ao final do desfile ocupou a avenida, seguindo a escola.

O desfile foi todo de metáforas de terror sobre o Brasil. A escola levou para a avenida a "ala dos roedores dos cofres públicos" e a dos "lobos em pele de cordeiro", em referência aos políticos. A corrupção na Petrobras foi lembrada em fantasias com barris de petróleo na cabeça e em um carro que retratava o edifício sede da empresa, atrás de um grande rato.

Violência, poluição, impostos excessivos, sistema de saúde ruim e crianças carentes também lembraram o "terror brasileiro". As cantoras Pabllo Vittar e Jojo Todynho foram destaques do carro "O abandono", representando a luta contra a intolerância de gênero e a intolerância racial, respectivamente.

Fonte e foto: G1

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo