Cidade

Caso Ivania: Polícia Civil conclui inquérito sobre morte da professora em Campo do Brito. Crime ocorreu em setembro do ano passado

Dois homens foram presos acusados da autoria e execução do crime.
por Redação do Portal Itnet
17/04/2018 09:03h
Atualizado em 17/04/2018 11:07h

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Campo do Brito, detalhou na manhã desta terça-feira, 17, em coletiva de imprensa realizada na sede da SSP/SE, o resultado das investigações que culminaram na prisão dos suspeitos pela morte da professora Ivania Santana Souza Oliveira, 45 anos, no dia 12 de setembro de 2017. Foram presos os homens identificados como Antonio Carlos de Jesus Costa, conhecido como "Toninho" ou "Mancha" e de Jackson Douglas Passos Carvalho. Ambos são acusados da autoria do homicídio.

Segundo a delegada Michele Araújo, responsável pelas investigações, a vítima já havia sofrido agressões por parte de Jackson, chegando a comunicar a uma das irmãs as ameças sofridas. "Nós inciamos as investigações a partir de informações passadas pelos familiares da vítima. Segundo eles, a professora Ivana Santana sempre apresentava alguma hematomas, sinais de agressões físicas pelo corpo e já havia comentado com uma das irmãs que havia sido ameaçada de morte por Jackson Douglas caso ela terminasse a relação", revelou.

Ainda segundo a delegada, Jackson, que já se encontra preso, foi o mandante do crime. Ela ressalta que a vítima "aparentava estar com medo e em virtude disso, as suspeitas contra Jackson pesavam, como também foi a suspeita inicial da própria família", apontou. De acordo com Michele, foi comprovado durante as investigações que a professora havia passado alguns dos seus bens para familiares, pois temia e se resguardava de algo.

No último dia 20 de março, agentes da Polícia Civil, sob o comando da Delegada Michele Araujo, cumpriram Mandado de Prisão Temporária em desfavor de Antonio Carlos, segundo envolvido no crime. "Várias pessoas foram ouvidas, fomos até o local do crime, fizemos levantamento com pessoas que estavam no local, levantamos informações com pessoas que conheciam o casal.

No início das investigações, tomamos conhecimento de que Jackson estaria em um posto de combustível no município de Itabaiana conversando com alguns indivíduos, e ao lado dele se encontrava uma Moto Honda/Bross de cor preta, sendo essa motocicleta pertencente ao próprio Jackson, que após alguns minutos de conversa dois dos elementos que estavam com ele pegaram a motocicleta e sairam em direção a Campo do Brito", salientou a delegada, que informou que a intenção de Jackson era a de ser visto no posto para desvincular sua imagem do crime.

Com a evolução das investigações, ficou evidente a participação de Antonio Carlos, que foi indiciado como coautor do homicídio e diante das evidências o Poder Judiciário converteu a prisão temporária em preventiva. "Um dos indivíduos que saiu pilotando a moto foi identificado como Antonio Carlos de Jesus Costa, sendo motoristo do próprio Jackson. Foi comprovado que ele estava no mesmo local da professora no momento do crime". A delegada afirmou que em depoimento, Antonio confessou que estava no município em que ocorreu o crime, entretanto, apenas foi ao local para levar um veículo a pedido de Jackson.

A delegada esclaresse ainda que durante o crime, "Toninho" dirigiu-se até o colégio, momento em que o garupa da motocicleta, terceiro envolvido no caso, chamou a professora pelo nome e efetuou os disparos, fugindo em direção ao município de Lagarto. A delegada esclaresse ainda que as investigações continuam afim de identificar o paradeiro da terceira pessoa, responsável por efetuar os disparos, e que diligências estão sendo realizadas para que se prenda esse último suspeito.

Foto: SSP/SE

 

Fonte: SSP/SE

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo