Cidade

Sergipe registra primeira morte causada pelo vírus H1N1. Vítima tinha apenas cinco meses e era natural de Itabaiana

O bebê era uma menina, que estava internada no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse).
por Redação do Portal Itnet
15/05/2018 08:32h
Atualizado em 15/05/2018 12:01h

A secretaria de Estado da Saúde confirmou ontem, 14, que o estado registrou a primeira morte causada pelo vírus H1N1. Vítima tinha apenas cinco meses e era natural de Itabaiana. O bebê era uma menina, que estava internada no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) desde o dia 05 deste mês.

O Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen) recebeu o material da criança no dia 05, dia em que a criança deu entrada na unidade, e no dia 07, após análise, confirmou o diagnóstico do vírus Influenza tipo ‘A’, o H1N1.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Doenças Transmissíveis, Mércia Feitosa, a gripe pode ter afetado o quadro de saúde do bebê. “Recebemos o exame que confirmava que a criança estava com a gripe H1N1. Com a pouca idade a gripe pode ter agravado o quadro de saúde do bebê e ocasionado à morte”, disse.

A assessoria do Hospital Pediátrico do Huse emitiu nota sobre o caso:

"A Coordenação do Hospital Pediátrico Dr José Machado de Souza, localizado no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) lamenta o óbito ocorrido na noite do último sábado, 12, de um bebê com cinco meses de vida e iniciais S.F.

A criança deu entrada na Área Vermelha da pediatria na tarde do último dia 5 de maio, com quadro clínico suspeito de pneumonia pelo vírus H1N1. O médico que realizou o primeiro atendimento ao bebê suspeitou imediatamente e solicitou os exames que comprovaram o quadro.

Uma ação conjunta da equipe médica foi feita na tentativa de salvar a vida da criança que chegou ao hospital com um quadro de insuficiência respiratória grave, o que dificultou a transferência da mesma para um leito de UTI pediátrica, já que não era possível desconectar o respirador.

A criança veio transferida do Hospital de Itabaiana, já muito grave em ventilação mecânica, cidade onde residia e foi imediatamente tratada com a medicação TAMIFLU e com antibiótico para a bactéria associada. Mesmo com ventilação mecânica a criança manteve saturação baixa.

Na tarde do último sábado, 12, o quadro se agravou e a noite a criança foi a óbito com quadro clínico de uma pneumonia desencadeada para H1N1, por ter apenas cinco meses de vida, a criança não apresentava faixa etária para ser vacinada". 

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo