Cidade

Especial 130 anos: Itabaiana e suas lendas – Santo Antônio Fujão, Carneirinho de Ouro e Poço das Moças

Confira um breve histórico sobre as principais lendas e atribuições referentes ao nosso município.
por Redação do Portal Itnet
24/08/2018 10:59h

Acerca da história de Itabaiana muito se tem a mostrar. Principalmente, porque ela é rica em lendas que são passadas de geração para geração. Uma das lendas mais conhecidas e contadas pelos mais antigos é a de que o nome da cidade serrana faz alusão a uma índia, que se chamava Ita e era Baiana, daí então o nome Itabaiana; ainda segundo esta lenda, Ita trabalhava na feira itabaianense vendendo doces e encantava a todos, pois dançava muito.

Acompanhe agora as duas principais lendas sobre nossa querida Itabaiana, que passam de geração para geração:

LENDA DO CARNEIRINHO DE OURO E DO POÇO DAS MOÇAS

De acordo com essa lenda, quem fosse à Serra de Itabaiana, avistasse o carneiro de ouro e conseguisse capturá-lo ficaria rico. Alguns itabaianenses acreditam fielmente nisso até os dias atuais, mesmo ninguém tendo capturado o tão famoso carneiro.

Muitas pessoas associam a fama que Itabaiana possui de ser a terra do ouro a esta lenda, mas como já foi citado acima, tem na verdade relação com o número de joalherias espalhadas pelo município, a preços mais baixos que em outros locais de Sergipe.

O Poço das Moças, localizado na Serra, assim como a própria Itabaiana, tem o seu nome associado a uma lenda. Segundo a lenda, o poço recebe esse nome porque certa vez um morador da região se banhava no poço e avistou duas moças se banhando também; após isso, esse morador desapareceu misteriosamente, como em um passe de mágica; as pessoas ficaram com medo de frequentar o local, pois dizia-se que a moça que se banhasse ali ficaria impura.

Hoje, o Poço das Moças é um importante ponto turístico do município, assim como a própria Serra, que são visitados por pessoas de todas as partes do Estado.

LENDA DO SANTO ANTÔNIO FUJÃO

Reza a lenda que em Itabaiana havia um santo muito danado. Santo Antônio, que é o padroeiro do município serrano, era um santo fujão.

Os colonizadores inventaram que o Santo Antônio estava descontente com o local ao qual ele estava, a Igreja Velha, onde Itabaiana começou, e saía durante a noite caminhando até uma quixabeira localizada onde hoje está a Igreja Matriz, pois ele queria que ali fosse a sede do município; então, as pessoas iam toda noite carregá-lo de volta para a Igreja Velha.

Segundo José de Almeida Bispo, historiador, “trata-se de um bom trabalho de marketing no sentido de convencer ao povo sobre a mudança da igreja, epicentro da futura povoação de Santo Antônio da Itabaiana, para o local em que hoje se encontra a Matriz de Santo Antônio e Almas”.

Por influência de Santo Antônio Fujão, ou não, a sede do município foi realmente transferida para onde hoje localiza-se a Igreja Matriz de Santo Antônio e Almas, sendo esta, até os dias atuais, a maior e mais importante igreja serrana. Recentemente uma estátua de Santo Antônio Fujão foi erguida na Praça da Matriz, no lugar onde ele sempre quis estar.

Texto e fotos: Taís Cristina - Portal Itnet

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo