Cidade

Especial Itabaiana 130 anos: quem está por trás do sino da Matriz?

A Matriz de Santo Antônio e Almas é a única igreja do município onde os sinos antigos ainda são “repicados”.
por Redação do Portal Itnet
27/08/2018 11:03h

Existe uma história que diz que Itabaiana é a terra da fé e do milagre; é o que se pode esperar do lugar abençoado por Santo Antônio. E por falar em Antônio, é sobre a sua casa que iremos falar hoje: A Matriz de Santo Antônio e Almas de Itabaiana.

Todos os dias, de uma em uma hora, sem falta e sem atraso, o sino da matriz toca, anunciando uma hora a mais – ou uma a menos – vai de nosso ponto de vista. Essa tradição é antiga e em Itabaiana, a Matriz de Santo Antônio e Almas é a única igreja do município onde os sinos antigos ainda são “repicados” – nas outras um CD é tocado.

Para começo de história precisamos falar sobre essa tradição: ela surgiu em Roma, berço da Igreja Católica e se mantém viva. Os sinos são repicados com o intuito de fazer uma anunciação.

Na Matriz de Santo Antônio há dois tipos de sinos: um que está conectado ao relógio e é tocado de uma em uma hora, de maneira automática, e outro que é tocado manualmente, apenas para grandes anúncios.

Maquinário responsável por fazer o sino conectado ao relógio tocar automaticamente

 

É sobre ele que queremos falar; um sino bastante antigo, pesado e feito de bronze, uma relíquia para a igreja. Quem será que toca o sino? São os sacristãos da paróquia, Almeidinha e Alisson, somente eles e ninguém mais. Por que somente eles? Porque são os responsáveis por este “serviço”.

“De uma em uma hora o sino que toca é automático, ele está ligado ao relógio da igreja. Mas o sino manual se toca em ocasiões importantes, para fazer algum anúncio, como a morte de um bispo, um padre, para anunciar uma missa, aí somos eu e Almeidinha quem tocamos”, conta o sacristão Alisson.

Sacristão Alisson 

 

Os sinos ficam localizados nas torres da Matriz, bem lá no alto, onde o som se espalha com facilidade. Dá para se imaginar que antigamente, quando Itabaiana existia basicamente que em torno apenas da Matriz, o som do sino alcançava todas as residências, e que quando ele tocava as pessoas já ficavam em alerta e na curiosidade.

“Na missa do sábado de Aleluia tocamos o sino para anunciar aos fiéis que a missa, uma das mais importantes está prestes a começar. No dia da morte de Dom Luciano, que aconteceu recentemente tocamos o sino para fazer o anúncio, bem como uma forma de homenagem”, afirma o sacristão.

Não sei vocês que estão lendo, mas eu que escrevo, desde pequena, sempre tive a curiosidade de saber quem estava por trás dos sinos. Agora eu sei e também informo a vocês quem são eles, inclusive tive a oportunidade de subir na torre onde estão os sinos. Realizei um sonho de infância e de quebra escrevi esta reportagem. Agora eu e todos, quando escutarmos o sino, em uma ocasião especial, saberemos “quem está por trás dos sinos da Matriz”.

Texto e fotos: Taís Cristina

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo