Policial

Deputados aprovam reajuste salarial e a devolução

por Redação do Portal Itnet
30/05/2007 08:32h

Depois de mais de duas horas de discussões, foram aprovados hoje (29) os projetos que concedem reajuste salarial de 2,96% ao servidor estadual e que determina a devolução parcelada de recursos do extinto Funaserp. A sessão, que terminou às 12h40, não teve os discursos do pequeno expediente para evitar que a votação fosse muito prolongada. Oito parlamentares discursaram no grande expediente com um tempo menor que o previsto no regimento.Os projetos de autoria do Executivo, aprovados por maioria, serão agora sancionados pelo governador Marcelo Déda. A votação foi pontuada por críticas de deputados da oposição, que cobraram um percentual maior para o servidor. A bancada de apoio ao governo reconhece a defasagem do funcionalismo, mas lembrou que o Estado não pode recuperar, em apenas quatro meses, as perdas acumuladas em outros governos.O líder da oposição, Venâncio Fonseca, afirmou que não havia argumento para justificar a posição de alguns colegas, como a deputada Tânia Soares, que pediu paciência aos servidores e lembrou o histórico do governador Marcelo Déda em favor do funcionalismo.“Justifique com outros argumentos que ninguém é tolo nesta Casa”, disse Venâncio, que criticou também o deputado Gilmar Carvalho por anunciar voto favorável ao aumento, mudando a previsão anterior de votar contra. Gilmar disse que votava a favor dos projetos após ouvir as ponderações do governador e obter dele a promessa de que as negociações ficarão abertas por todo o mandato do governo.O deputado lembrou ainda que o governador se comprometeu em receber os policiais em audiência, como aconteceu com os professores. Segundo Venâncio, Gilmar jogou para a platéia. “Vossa Excelência foi enquadrado. Antes de expor sua opinião, consulte o palácio primeiro”, disse o líder da oposição.O líder do governo, deputado estadual Francisco Gualberto, disse que os deputados estavam autorizando o pagamento dos salários com o reajuste encaminhado pelo governo e que os oposicionistas sabiam que a Assembléia não poderia reformular o percentual. Gualberto negou que Marcelo Déda tivesse enquadrado os parlamentares de sua bancada. Segundo ele, a bancada de apoio ao governo estava sendo orientada a aprovar o reajuste “pela lógica do passado e do futuro”, numa referência às perdas salariais acumuladas nos governos anteriores que são difíceis de serem sanadas em curto espaço de tempo.O deputado Augusto Bezerra considerou prejudicial a proposta de devolução dos recursos do antigo Funaserp. Para ele, a proposta penaliza os servidores que já receberam 50% do fundo. O parlamentar oposicionista disse ainda que nenhum deputado estava convencido do aumento. “O que os professores e policiais estão vendo é uma bancada enquadrada pelo governador Marcelo Déda”, comentou.

Gostou? Compartilhe:

Comente Abaixo