O projeto foi desenvolvido pela Profa. Dra. Aristela Zanona do departamento de Terapia ocupacional (TO) da UFS, em parceria com a Startup Neurobots® e o PPGCAS.

Logo após um AVC (derrame) muitas pessoas têm dificuldade em movimentar e sentir o braço e a mão. Isso interfere diretamente na habilidade de realizar tarefas do cotidiano como escrever, se alimentar, escovar os dentes entre outras.

Pensando nisso, o Projeto de Pesquisa Interface Cérebro Máquina foi desenvolvido pela Profa. Dra. Aristela Zanona do departamento de Terapia ocupacional (TO) da UFS, em parceria com a Startup Neurobots® e o PPGCAS. O foco do projeto é usar a tecnologia a favor da recuperação do braço dos pacientes pós AVC.

“Usamos um equipamento chamado de exoesqueleto (mão robótica), uma touca com eletrodos e um computador. Por meio dos eletrodos ocorre a captação da atividade elétrica, a mesma é enviada para o software no computador e esse software interpreta a intenção do movimento e faz com que a Mão Robótica se mova”, conta Aristela.

O objetivo principal da intervenção é a estimulação da neuroplasticidade, (capacidade do cérebro de aprender e recuperar as funções, desde que haja um estímulo correto).

O projeto também é uma oportunidade de aprendizado para os alunos e conta com a participação de pesquisadores do 2º ao 4º ano do curso de TO.

Siga a rede social do projeto para informações sobre a pesquisa: @maoroboticaufs

*Essa matéria foi desenvolvida por integrantes do Programa de Pós-graduação em Ciências Aplicadas à Saúde da UFS de Lagarto, que semanalmente trará matérias sobre assuntos de interesse da população, aqui no Portal Itnet