Segundo o órgão, os restos mortais encontrados até o momento estão custodiados no Instituto Médico Legal (IML), aguardando a conclusão das buscas.

Foto: reprodução/TV Sergipe

“A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informa que, após as buscas realizadas pelo Corpo de Bombeiros, que resultaram na localização de um braço ao lado do motor da aeronave, papiloscopistas fizeram exames de confronto datiloscópico que positivaram os restos mortais como sendo pertencentes ao piloto, Adriano Eugenio de Leon Ribeiro, 32”, informou a SSP, através de nota, às 14:50h desta sexta-feira, 07.

Segundo o órgão, os restos mortais de Adriano encontrados até o momento estão custodiados no Instituto Médico Legal (IML), aguardando a conclusão das buscas.

A esposa do piloto veio de Minas Gerais para Aracaju, na esperança de encontrar o companheiro com vida; ela está acompanhando a operação.

O ACIDENTE:

Era pouco antes de meio dia da quinta-feira, 06, quando os moradores do Bairro Coroa do Meio, em Aracaju ouviram um barulho estrondoso e em seguida perceberam que se tratava de um acidente aéreo no manguezal na localidade.

Algumas pessoas entraram no mangue, na tentativa de ajudar, porém, o local é de difícil acesso, até mesmo para as buscas dos profissionais.

O monomotor havia saído de Unaí, em Minas Gerais para trazer uma pessoa em Sergipe. Quando voltaria sozinho, o piloto, Adriano Leon saiu do Aeroporto Santa Maria, em Aracaju e segundo a SSP, “a aeronave apresentou problemas logo após a decolagem, e o piloto desviou a rota para a área de manguezal, para evitar a queda sobre as residências.

Rapidamente as equipes da Polícia Militar e Civil, SAMU, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, o GTA da SSP, entre outras equipes se descolaram à cena do acidente, onde estiveram durante toda a tarde. O GTA auxiliou com imagens aéreas e um guindaste também foi levado ao local, para auxiliar na retirada da aeronave.

As buscas pararam por volta das 20:30h da quinta e retomaram na manhã de hoje, quando os bombeiros encontraram um braço do piloto, o motor da aeronave e também pertences dele. Grande parte do monomotor foi içada, com a ajuda do guindaste.

A operação exige muito esforço dos bombeiros, visto que o local é de difícil acesso e o trabalho foi dificultado porque a área foi contaminada pelo vazamento do combustível do monomotor e já é poluída pela rede de esgoto que passa pelo local.

A Polícia Federal e órgãos de fiscalização irão iniciar as investigações, no intuito de descobrir as causas do acidente aéreo.