De acordo com a SSP, o corpo foi encontrado por volta das 11:10h do último domingo, 09.

Foto: SSP/SE

A Secretaria da Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE) informou que por volta das 11:10h do último domingo, 09, o corpo do piloto Adriano Eugenio de Leon Ribeiro, de 32 anos foi encontrado no manguezal onde o monomotor que ele pilotava caiu na última quinta-feira, 06.

Foram quase 100 horas de buscas, desde o dia do acidente até o momento que o corpo de Adriano foi encontrado. O trabalho exigiu muito esforço dos profissionais que atuaram, durante os quatro dias de operação.

O ACIDENTE:

Era pouco antes de meio dia da quinta-feira, 06, quando os moradores do Bairro Coroa do Meio, em Aracaju ouviram um barulho estrondoso e em seguida perceberam que se tratava de um acidente aéreo no manguezal na localidade.

Algumas pessoas entraram no mangue, na tentativa de ajudar, porém, o local é de difícil acesso, até mesmo para as buscas dos profissionais.

O monomotor havia saído de Unaí, em Minas Gerais para trazer uma pessoa em Sergipe. Quando voltaria sozinho, o piloto, Adriano Leon saiu do Aeroporto Santa Maria, em Aracaju e segundo a SSP, “a aeronave apresentou problemas logo após a decolagem, e o piloto desviou a rota para a área de manguezal, para evitar a queda sobre as residências.

Rapidamente as equipes da Polícia Militar e Civil, SAMU, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, o GTA da SSP, entre outras equipes se descolaram à cena do acidente, onde estiveram durante toda a tarde. O GTA auxiliou com imagens aéreas e um guindaste também foi levado ao local, para auxiliar na retirada da aeronave.

As buscas pararam por volta das 20:30h da quinta e retomaram na manhã da sexta, 07, quando os bombeiros encontraram um braço do piloto, o motor da aeronave e também pertences dele. Grande parte do monomotor foi içada, com a ajuda do guindaste.

Na tarde da sexta, a SSP descartou a possibilidade de que o jovem piloto fosse encontrado com vida, visto que, quando o braço foi encontrado, “papiloscopistas fizeram exames de confronto datiloscópico que positivaram os restos mortais como sendo pertencentes ao piloto”, disse a SSP.

A operação exigiu muito esforço dos bombeiros, visto que o local é de difícil acesso e o trabalho foi dificultado porque a área foi contaminada pelo vazamento do combustível do monomotor e já é poluída pela rede de esgoto que passa pelo local.

A Polícia Federal e órgãos de fiscalização já iniciaram as investigações, no intuito de descobrir as causas do acidente aéreo.

Adriano nasceu e fez faculdade de ciências aeronáuticas em Belo Horizonte (MG). A esposa dele, Michelle Rodrigues, esteve em Aracaju para acompanhar as buscas.