A ação policial foi deflagrada com o intuito de prender suspeitos de homicídios ocorridos na madrugada do sábado, 22.

Em diligências operacionais de buscas de suspeitos de crimes de homicídios praticados durante a madrugada do sábado, 22, em Lagarto e Salgado, policiais civis da Delegacia Regional de Lagarto localizaram uma residência onde os suspeitos poderiam estar escondidos.

A ação policial, deflagrada na tarde do sábado e que contou com o apoio do 7º Batalhão de Polícia Militar (7º BPM), resultou na apreensão de munições e droga em Lagarto.

Segundo as informações policiais, foi feito o chamamento por moradores do imóvel e um dos residentes alertou, em voz alta, sobre a presença policial, momento em que um suspeito fugiu pelas residências vizinhas.

Ele foi posteriormente localizado e reagiu à abordagem policial, entrando em luta corporal para pegar a arma de um dos agentes. O investigado acabou sendo atingido, socorrido ao hospital, mas não resistiu aos ferimento e veio a óbito.

Os delegados Matheus Cardilo, Michele Araujo e Allison Lial informaram que, imediatamente após a prática dos crimes – o primeiro no povoado Brasília, em Lagarto; e o segundo, em Salgado – os policiais iniciaram as buscas pelos suspeitos e elementos informativos que subsidiassem as investigações, quando foram surpreendidos pelo suspeito Natan Flanklin.

Com Nathan, foram apreendidas munições intactas de calibre .38, dois tabletes médios contendo substâncias semelhantes à droga maconha, outras nove buchas contendo idêntica substância, anotações, aparelhos celulares, e uma camisa compatível com a que trajava um dos suspeitos da prática dos homicídios.

O delegados ressaltaram que, de acordo com as informações preliminares, ambos os crimes foram praticados pelo mesmo grupo, havendo indícios de que tenham sido praticados em razão do tráfico de drogas, havendo, ainda, em desfavor de Nathan, que já havia sido apreendido por ato infracional semelhante a homicídio e preso em flagrante por porte de arma de fogo, um mandado de prisão preventiva por crime de tráfico de drogas.

Fonte e foto: SSP/SE