O Huse, em nota admitiu a falha no procedimento de liberação, ao não seguir o protocolo de conferência dos documentos necessários para a entrega do óbito.

Mais um caso de troca de corpos foi registrado no estado de Sergipe. Desta vez, o caso ocorreu no Hospital de Urgências Governador João Alves Filho, em Aracaju.

Os corpos de dois pacientes que estavam internados e faleceram na unidade ontem, 13, foram trocados antes de serem liberados para sepultamento. Um dos corpos foi liberado e sepultado por outra família.

Os corpos trocados foram de um idoso de 70 anos, que faleceu em decorrência de um traumatismo craniano, após uma queda em casa e de um homem de aproximadamente 40, vítima do coronavírus. A família do idoso disse que ele foi sepultado no lugar do homem, em um cemitério de Capela, enquanto o corpo do homem de 40 anos permaneceu no necrotério.

Em nota, o Hospital, em nome do seu diretor administrativo e financeiro, Manoel Mário Ferreira admitiu a falha no procedimento da liberação dos corpos e informou que se reuniu nesta manhã com a superintendência, assessoria jurídica e familiares dos pacientes, a fim de esclarecer a troca.

“O diretor lamentou o ocorrido e admitiu a falha no procedimento de liberação do corpo ao não seguir o protocolo de conferência dos documentos necessários para a entrega do óbito, o que contribuiu para a ocorrência constrangedora e inaceitável. Ele ressaltou ainda que a família de uma das pessoas que veio a óbito reconheceu o outro corpo como sendo do seu familiar, o que colaborou para a troca e que mesmo reconhecendo o erro administrativo, se colocou à disposição para o translado do corpo, além de adotar as providências necessárias para que cada família possa fazer o sepultamento digno do seu ente querido”, disse o Huse, em nota.

Ainda de acordo com o hospital, “será aberta uma sindicância administrativa para apurar os fatos e punir os culpados”.