Novas informações sobre a operação do Cope que resultou em dois confrontos e prisões em Itabaiana e outras cidades

Em Itabaiana, José Neilton Silva Passos, apontado como um dos líderes da quadrilha e Lucas Matheus Menezes de Oliveira morreram em confronto.

Na foto, José Neilton e Lucas Mateus

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE) atualizou as informações acerca da operação do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), ocorrido hoje, 17, em Itabaiana e outras cidades, com o intuito de desarticular uma associação criminosa.

Na cidade serrana, segundo a SSP, dois homens investigados entraram em confronto com as forças policiais, durante cumprimento de mandados de prisão e busca e apreensão e acabaram não resistindo.

Eles foram identificados como José Neilton Silva Passos, apontado pela polícia como um dos líderes da quadrilha e Lucas Matheus Menezes de Oliveira.

O objetivo da operação é desarticular uma quadrilha que atuava no roubo e receptação de cargas, com atuação em todo o Nordeste, sobretudo nos estados de Pernambuco e Bahia. A receptação, quando os roubos aconteciam fora do estado, era feita em Sergipe. Quatro pessoas foram presas.

Um terceiro investigado de participação na associação criminosa morreu em confronto no município de Rosário do Catete. Ele foi identificado como Charley da Silva Santos.

Os mandados foram cumpridos nas seguintes cidades sergipanas: Itabaiana, Campo do Brito, Nossa Senhora das Dores, Rosário do Catete, Santa Luzia do Itanhy e na cidade pernambucana de Jaboatão dos Guararapes. Cinco pessoas foram presas.

Segundo a Polícia Civil, os membros do grupo criminoso são violentos e costumam praticar assaltos à mão armada.

“A operação foi batizada de Chavinha em alusão ao fato da maioria das cargas serem “dadas” pelos caminhoneiros que, posteriormente, procuram à polícia para comunicar fraudulentamente que foram vítimas de assaltos mediante restrição de liberdade da vítima”, informou a polícia.

A operação do Cope contou ainda com o apoio da Divisão de Narcóticos da Delegacia Regional de Lagarto, da Delegacia de Campo do Brito e da Divisão de Inteligência (Dipol).