De acordo com as primeiras informações, o outro confronto ocorreu em Rosário do Catete.

Das três mortes que ocorreram em confrontos durante a operação do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), na manhã desta quinta-feira, 17, duas foram registradas na cidade de Itabaiana.

O outro confronto foi na cidade de Rosário do Catete. Um dos homens investigados que morreu em confronto em Itabaiana foi identificado como José Neilton Silva Passos, apontado como um dos líderes do grupo criminoso. O outro foi Lucas Matheus Menezes de Oliveira.

“As investigações apontaram que ele era contumaz nas práticas de roubo, furto e receptação de cargas, além de atuação na adulteração e comercialização de caminhões roubados. Ele já havia sido preso anteriormente em outras operações policiais”, disse a Polícia Civil.

Conforme informações da polícia, os suspeitos reagiram à abordagem policial, durante o cumprimento dos mandados de prisão e busca e apreensão e trocaram tiros com os agentes.

Em Itabaiana, os dois homens atingidos pelos disparos chegaram a ser levados ao Hospital Regional, mas acabaram morrendo.

A OPERAÇÃO:

A ação do Cope tem o objetivo de desarticular uma quadrilha que atuava no roubo e receptação de cargas, com atuação em todo o Nordeste, sobretudo nos estados de Pernambuco e Bahia. Cinco pessoas foram presas.

Os mandados estão sendo cumpridos nas seguintes cidades sergipanas: Itabaiana, Campo do Brito, Nossa Senhora das Dores, Rosário do Catete, Santa Luzia do Itanhy e na cidade pernambucana de Jaboatão dos Guararapes.

Segundo a Polícia Civil, os membros do grupo criminoso são violentos e costumam praticar assaltos à mão armada.

“A Operação foi batizada de Chavinha em alusão ao fato da maioria das cargas serem “dadas” pelos caminhoneiros que, posteriormente, procuram à polícia para comunicar fraudulentamente que foram vítimas de assaltos mediante restrição de liberdade da vítima”, informou a polícia.

A operação do Cope contou ainda com o apoio da Divisão de Narcóticos da Delegacia Regional de Lagarto, da Delegacia de Campo do Brito e da Divisão de Inteligência (Dipol).