Com o fim do processo de investigação do DAGV, os dois foram indiciados pelo crime de tortura com resultado de morte.

Foto: Polícia Civil

Os pais de uma criança de um ano e quatro meses, natural de Itabaiana, que morreu no mês de março, no Hospital de Urgência Governador João Alves Filho foram indiciados pela morte do menino, pelo crime de tortura, com resultado de morte. Os pais haviam alegado que a criança sofreu uma queda.

O caso foi investigado pelo Departamento de Atendimento aos Grupos Vulneráveis (DAGV), da Delegacia Regional de Itabaiana, através da delegada Lorena Rocha. O pai da criança, Adriano Junior Gois Nascimento já está preso, preventivamente, mas a mãe, Bianca Bispo de Souza está foragida.

Segundo a delegada, a investigação apurou que a causa da morte não foi uma queda, como alegado pelos pais do garoto.

“O lapso temporal da hospitalização não é compatível e segundo as informações técnicas acostadas aos autos, a causa da morte da criança foi uma lesão cerebral, com a ausência de qualquer fratura no crânio, que é bastante compatível com o quadro que é mais conhecido como síndrome do bebê sacudido”, disse a delegada.

Com base em tudo que foi apurado no andamento das investigações foram feitos os pedidos de prisão. “O inquérito policial foi concluído com o indiciamento dos pais pelo crime de tortura com resultado de morte. A denúncia foi oferecida e recebida pelo Poder Judiciário com o acatamento da prisão preventiva”, completou a delegada.

O DAGV pede a colaboração da população itabaianense, na ajuda à localização de Bianca. Informações podem ser passadas pelo Disque Denúncia 181. O sigilo é garantido.