“O tempo não para e a informação continua”. O adeus a Francis de Andrade, a voz da democracia

Por Taís Cristina

Quando se fala em comunicadores do rádio itabaianense alguns nomes são lembrados, e com certeza, o de Francis de Andrade sempre esteve em evidência. Eu cresci ouvindo a voz de dele, seja no rádio ou nos comícios políticos, lembro inclusive de algumas campanhas suas para vereador; a voz de Francis era inconfundível.

Eu queria muito um dia bater um papo com aquele homem, que sabia falar tão bem sobre qualquer assunto. Então ano passado tive a ideia de convidá-lo para participar do programa Eu & Vc, que eu apresentava aqui na Itnet. Quando liguei, ele topou na hora!

–Minha cara Taís Cristina, eu só vou te pedir uma coisa, vamos ser pontuais, preciso gravar 18h, porque tenho outros compromissos também – disse ele, com aquela voz grossa.

Bastante nervosa, fiz um breve estudo sobre a vida de Francis, porque não queria “fazer feio” na frente daquele que eu achava o maior comunicador de Sergipe. E então fomos gravar. Para mim, ainda tão jovem na comunicação, essa seria a entrevista mais importante que eu já tinha feito, não preciso nem dizer o porquê né?

Batemos um papo bacana e ao final perguntei se ele tinha gostado de participar. Ele então me fez vários elogios e eu vi nos olhos dele que realmente, ele gostou da entrevista, uma das poucas que fez através de vídeo.

–Você vai longe, minha cara Taís. Parabéns pelo jeito que conduz as perguntas, e pela sua espontaneidade – ele me disse.

No dia que a entrevista foi ao ar, Francis fez questão de usar o microfone do Realidade para citá-la, e pedir aos seus ouvintes fieis que assistissem a entrevista que ele deu “à jovem jornalista Taís Cristina, lá da Itnet, dona de um talento e espontaneidade especiais”. E os seus fieis ouvintes “obedeceram” e assistiram! Teve gente que disse que só não foi melhor porque acabou rápido!

Entrevistar Francis me proporcionou muito, principalmente ouvir as suas histórias, cara a cara, durante meia hora. Depois disso, sempre que me via na rua ele fazia questão de acenar e falar comigo.

O seu nome e a sua voz nunca serão esquecidos. Você é espelho e escola para muitos comunicadores e inspira muitos deles, assim como eu! Obrigada Francis, descanse em paz!

E aos seus familiares, os meus sinceros sentimentos, em especial à sua filha Isadora, com quem estive em contato neste período que Francis esteve no hospital. Muita força a todos!

Se você ainda não assistiu essa entrevista, confira agora: