Conta de luz ficará mais cara a partir de julho, após novo reajuste da Aneel

A agência anunciou o reajuste de 52% na bandeira vermelha patamar 2.

Ontem, 29, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou o aumento de 52% na bandeira vermelha patamar 2 a partir do mês de julho. Segundo a agência, o reajuste se dá por conta da crise hídrica que o país enfrenta.

A partir de julho, a taxa extra na conta de luz, que está sendo paga pelos brasileiros desde o mês de junho passa de R$ 6,24 por 100 kWh consumidos para R$ 9,49 por 100 kWh.

As bandeiras tarifárias são cobradas na conta de luz dependendo das condições de geração de energia no país.

Quando as condições são favoráveis, não há cobrança (bandeira verde). Quando há problemas, são cobradas as bandeiras amarela, vermelha ou vermelha patamar 2, a mais alta; é justamente a cobrança desta que vigora no momento.

De acordo com a Aneel, esta bandeira vermelha patamar 2 deverá vigorar no país até o mês de novembro.

Ainda conforme a agência, por conta da queda do nível dos reservatórios de hidrelétricas foi necessário acionar as usinas termelétricas, que tem custos mais elevados.

O acionamento além do previsto de usinas termelétricas para garantir o fornecimento de energia em 2021 vai custar R$ 9 bilhões aos consumidores. De janeiro a abril deste ano, o uso emergencial dessas usinas já custou R$ 4,3 bilhões.