Bares e restaurantes poderão funcionar aos domingos e aulas presenciais voltarão. Confira o que definiu o Governo

O toque de recolher continua mantido. De acordo com o governo sergipano, os municípios podem definir medidas mais restritivas.

Foto: ASN

O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas se reuniu hoje, 1º de julho, com os membros do Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais (Ctcae) para avaliar a situação da pandemia no estado.

Na reunião foi decidida a flexibilização de diversas atividades. Confira o que muda:

-A partir deste fim de semana (03 e 04), fica autorizado o funcionamento dos bares, restaurantes, pizzarias e similares, shoppings, bem como demais atividades não essenciais, com capacidade de 50% da ocupação; nesta data também estará liberado os acessos às praias sergipanas, parques e orlas;

-A partir do dia 10 de julho, fica liberada a realização de eventos fechados com 200 pessoas e abertos com 300 pessoas;

-No dia 21 de julho retornam as aulas presenciais na rede privada de ensino e em instituições de ensino superior; no dia 17 de agosto, na pública;

-Os cursos livres, incluindo preparatórios para concursos e pré-vestibulares, idiomas e outros, também retornarão no dia 21 de julho;

-O toque de recolher continua mantido, de quinta a sábado, das 22 às 05h do dia seguinte, em todo o território estadual.

Também fica autorizada, a partir do dia 10 de julho, a realização de competições e eventos esportivos em geral, profissionais ou amadores, vinculados ao cumprimento de protocolos sanitários específicos, sem a presença de público, além das vaquejadas, vinculada ao cumprimento de protocolos sanitários específicos, sem a presença de público.

“O Comitê analisou uma queda nas internações totais nos últimos 14 dias, com redução de 30,6% dos internados totais. Sendo 23,1% de redução das UTIs e 38,8% de redução das enfermarias. Também nos últimos 14 dias, houve redução de 25,8% das internações no SUS e de 37,6% na rede privada. Além disso, Sergipe atingiu a marca de 33,7% da população vacinada com a primeira dose”, informou o Governo.

Os municípios poderão definir medidas mais restritivas, caso achem necessário.