A dislipidemia corresponde ao aumento dos níveis sanguíneos de colesterol total e triglicerídeos estando estreitamente relacionado a obesidade e doenças cardiovasculares, principal causa de morte em todo o mundo.

Diante do cenário, um estudo realizado pela nutricionista Betina Maiara Ribeiro Carvalho, mestre pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Aplicadas à Saúde (UFS-Lagarto), sob a orientação das professoras Dra Adriana Gibara e Dra Luciana Lobato do Grupo de pesquisa em Plantas Medicinais e Fitoterápicos, buscou desenvolver um bioproduto a partir do bagaço da laranja doce (Citrus sinensis L.) como estratégia de controle da dislipidemia.

Através de ensaios experimentais com camundongos, as pesquisadoras verificaram que  a farinha produzida com bagaço da laranja, rica em fibras, compostos bioativos e fenólicos, apresentou potencial antioxidante, sendo eficaz na redução dos níveis de colesterol total e triglicerídeos e no aumento do HDL.

Embora os resultados sejam motivadores e ofereçam uma estratégia de utilização para resíduos da indústria alimentícia, destaca-se que mais estudos sobre a utilização dos resíduos da laranja são necessários para melhorar caracterização destes efeitos em humanos.

*Essa matéria foi desenvolvida por integrantes do Programa de Pós-graduação em Ciências Aplicadas à Saúde da UFS de Lagarto, que semanalmente trará matérias sobre assuntos de interesse da população, aqui no Portal Itnet