Após o primeiro caso de COVID-19 no Brasil, medidas foram tomadas para controle do vírus como restrições sociais e também aquisição de vacinas devido a variação do número de casos e óbitos.

A nutricionista Kelly Dayanne Oliveira Silva, aluna do Programa de Pós-graduação em Ciências Aplicadas à Saúde da UFS-Lagarto orientada pelos professores Drº Carlos Repeke e Msc. Scheila Paiva, realiza uma pesquisa com o objetivo de verificar a hesitação dos brasileiros à vacina.

A pesquisa foi realizada através de um formulário online e contou com a participação de 158 voluntários com idade média de ≥18 anos, de ambos sexos e de várias regiões do país.

Os resultados revelam que o fator socioeconômico, educacional e o gênero, estão diretamente envolvidos nas decisões relacionadas à vacina. Apesar das manifestação contrárias à vacinas nas redes sociais, os resultados mostram que pessoas com acesso à internet e formação de nível superior, não são contrárias às vacinas.

O trabalho, de nacional reconhecimento, ganhou um espaço como capítulo em um livro que conta a história da pandemia no Brasil. Os autores da pesquisa, juntamente com uma equipe de pesquisadores Luso-Brasileiros abordam as repercussões biopsicossociais da pandemia no Brasil desde o seu início até o momento.

*Essa matéria foi desenvolvida por integrantes do Programa de Pós-graduação em Ciências Aplicadas à Saúde da UFS de Lagarto, que semanalmente trará matérias sobre assuntos de interesse da população, aqui no Portal Itnet